Eventos no Estado geram 4,6% do PIB nacional

Contexto Paulista

COLUNA - Contexto Paulista

Data 23/11/2019
Horário 05:16

O calendário de eventos no Estado de São Paulo acaba de ser divulgado pelo governo estadual e a Ubrafe (União Brasileira de Promotores de Feiras). Realizado no WTC, na capital, o anúncio teve participação dos secretários de Turismo, Vinicius Lummertz e da Fazenda, Henrique Meirelles e do presidente da Ubrafe, Jamil Abdala. O setor gera todo ano negócios que atraem aproximadamente 8,2 milhões de visitantes, segundo pesquisa da entidade divulgada nesta semana. De acordo com o estudo, as feiras e eventos deste segmento geram volume anual de R$ 305 bilhões em negócios, o equivalente a 4,6% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional. Os investimentos feitos por promotores, montadores, expositores, visitantes locais e viajantes em feiras de negócios chegam a R$ 16,3 bilhões ao ano, segundo o levantamento. “Os excelentes números da pesquisa reiteram a importância deste segmento para o turismo e para a economia paulista como um todo”, diz o secretário Lummertz.

Turismo paulista

Com o título “Impacto e resultados dos eventos com foco em geração de negócios no Estado de São Paulo”, o estudo foi realizado pela NewSense. O levantamento aponta que 66,5 mil empresas e expositores participam de 742 eventos de negócios a cada ano no Estado. São comercializados 3 milhões de metros quadrados nos principais pavilhões, centros de eventos e grandes hotéis. “Cada R$ 1 investido por expositores em feiras com foco em negócios resulta em alto retorno, gerando vendas de R$ 35”, afirmou Jamil Abdala. A coleta de dados da pesquisa foi feita em setembro e outubro e inclui as principais feiras de negócios do Estado e congressos com mais de 500 participantes, com exceção de eventos do agronegócio.

Supermercados no Interior

Pesquisa do mês de setembro sobre o faturamento do setor de supermercados, realizado pela Apas (Associação Paulista de Supermercados), aponta destaque positivo no interior, especialmente para as regiões de Bauru e Marília, que tiveram um forte crescimento em setembro em relação ao ano passado em torno de 5%. Atualmente, a região de Bauru emprega 14,5 mil pessoas no setor e a de Marília 11,3 mil.

Expectativa

O economista Thiago Berka, da Apas, diz que o setor segue mostrando melhoras e saindo da crise. "Os supermercadistas estão realizando contratações recordes. Neste ano, dos dez meses analisadas, três tiveram recordes nos últimos cinco anos e o acumulado é o melhor em três anos”, diz ele. “Isto demonstra que há sim melhora no fluxo de clientes e que a aposta do setor está no último trimestre de 2019 devido à liberação do 13º, FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e lotes de imposto de renda. A expectativa é que o Natal seja o melhor desde 2014".

Em defesa das cidades pequenas

Prefeitos de todo o país estão sendo convidados a irem em Brasília no dia 3 de dezembro para mais uma “mobilização municipalista”. O evento tem o objetivo principal de sensibilizar os parlamentares quanto aos impactos da medida provisória que extingue municípios sem autonomia financeira. A medida consta da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 188/2019, conhecida como a PEC do Pacto Federativo, apresentada no início de novembro. De acordo com a proposta, municípios com menos de 5 mil habitantes e arrecadação própria menor que 10% da receita total serão incorporado pelo município vizinho. A estimativa é que seriam atingidos 1.252 municípios no país.

Outras pautas

Além da questão da extinção de municípios, os prefeitos vão fazer lobby para a aprovação de pautas consideradas prioritárias aos municípios que tramitam no Congresso Nacional. Os projetos dizem respeito ao FPM (Fundo de Participação dos Municípios) de setembro, a inclusão de municípios na Reforma da Previdência, a execução direta de emendas, o ISS (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) e a Nova Lei de Licitações.

Compromisso

“A essência de uma democracia está em seu povo e sua comunicação. Não há democracia sem comunicação, jornalismo livre e respeito à crítica e ao contraditório” - governador João Dória, durante assinatura de contratos de crédito a emissoras de rádio e TV ligadas à Aesp (Associação das Emissoras de Rádio e TV do Estado de São Paulo).

Equoterapia

Projeto de lei do deputado federal André Ferreira (PSC-PE) obriga o SUS (Sistema Único de Saúde) a fornecer o serviço de equoterapia como recurso terapêutico quando houver prescrição médica. Por força de lei federal sancionada em maio deste ano pelo presidente Jair Bolsonaro, a equoterapia foi incluída entre as condutas a serem oferecidas pelos planos de saúde aos clientes com deficiência. A lei traz uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência.

 

Veja também