Falso leilão virtual: Polícia Civil cumpre 3 prisões temporárias

Após um ano de investigações foi deflagrada a Operação Policial Ezequiel 7:12 com apreensões realizadas na região de Campinas, por agentes do Deinter-8, com apoio do Deinter 2

REGIÃO - OSLAINE SILVA

Data 14/10/2021
Horário 18:54
Foto: Polícia Civil de Pirapozinho
Ao todo, participaram da operação 24 policiais do Deinter-8 e Deic/Deinter-2
Ao todo, participaram da operação 24 policiais do Deinter-8 e Deic/Deinter-2

Operação Policial Ezequiel 7:12. Após um ano de investigações, a comarca de Pirapozinho expediu nesta quinta-feira quatro mandados de busca e quatro de prisão temporária contra um núcleo criminoso radicado na região de Campinas (SP), responsável por aplicar golpes virtuais, por meio de leilões virtuais falsos. “Essa operação é ligada a compras e vendas virtuais. E o trecho bíblico que ela foi batizada vai exatamente ao encontro dessa situação. Das quatro prisões temporárias, três foram cumpridas, sendo três homens. Dois em Sumaré [um foragido] e outro preso em Paulínia”, expõe o delegado de Pirapozinho, Rafael Guerreiro Galvão, responsável pelas investigações. 
Ao todo, participaram da operação 24 policiais civis, incluindo o apoio da Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), do Deinter-2 (Departamento de Polícia Judiciária São Paulo Interior) de Campinas. Dezesseis destes policiais da Delegacia Seccional de Polícia de Presidente Prudente se deslocaram até a região de Campinas.
O delegado chama a atenção para o tempo considerável de investigações, uma vez que tudo é baseado em quebras de sigilo e outros meios investigativos, de inteligência, que acabam demorando muito pelos sistemas judiciais, policiais e até mesmo bancários. “Trata-se de uma operação de investigação do Deinter-8, que busca desmantelar o núcleo criminoso virtual, identificar demais vítimas, responsabilizar os criminosos e reaver os montantes financeiros obtidos através dos golpes”, explana a autoridade policial.
Rafael enfatiza que esta é a primeira fase da operação e que a partir de agora mais elementos surgirão. Ele destaca a importância de coibir este tipo de golpe, aliás uma série de crimes eletrônicos, estelionatos virtuais que têm aumentando cada vez mais não apenas na região, mas em todo o Estado, ou melhor, no Brasil.
“É importante a gente coibir essas associações criminosas e mostrar que no meio virtual também existe lei. Pode demorar um pouco, mas as pessoas serão responsabilizadas. Igualmente importante é o alerta às pessoas que cedem suas contas para terceiros receberem valores, pois elas estão incorrendo na participação de crimes, obviamente. Então, é preciso tomar muito cuidado com esse tipo de situação”, alerta o delegado.

Retomando os fatos

Rafael conta que as investigações sobre este caso iniciaram quando um ex-prefeito da cidade (que inclusive, faleceu) o procurou apresentando o prejuízo que havia sido vítima em aproximadamente R$ 100 mil. Contudo, ao longo destes 12 meses foi averiguada uma série de outros golpes em todo o Estado de São Paulo, estimando-se o prejuízo total em mais de R$ 1 milhão por esses criminosos virtuais.
As investigações prosseguem, com o objetivo de angariar bem móveis e imóveis para ressarcimento das vítimas, além da responsabilização penal dos investigados.

Veja também