Fatalidades no trânsito da região têm queda de 60% em julho

Além disso, 10ª RA acumula redução de 34% desde janeiro; Detran atribui cenário ao menor fluxo de veículos nas ruas e estradas devido à pandemia

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 20/08/2020
Horário 16:26
Arquivo - Dados consideram acidentes registrados em vias urbanas e rodovias
Arquivo - Dados consideram acidentes registrados em vias urbanas e rodovias

O programa Respeito à Vida, do governo de São Paulo, publicou os novos dados do Infosiga SP sobre acidentes e fatalidades de trânsito no Estado. Em julho, as fatalidades caíram 60% na 10ª RA (Região Administrativa) do Estado de São Paulo. Enquanto em junho foram registrados 15 óbitos, o mês seguinte contabilizou seis. Em relação aos primeiros sete meses do ano, a região acumula redução de 34%. De janeiro a julho do ano passado, foram notificadas 76 fatalidades, número que caiu para 50 no mesmo período deste ano.

No Estado, foram registrados 402 óbitos em vias urbanas e rodovias, o que representa uma queda de 16,6% na comparação o mesmo período de 2019 (482 ocorrências). No ano, a redução é de 11,4% nas fatalidades (2.726 contra 3.078 nos primeiros sete meses de 2019). Acidentes com vítimas tiveram redução de 6% em julho (14,1 mil ocorrências contra 15,1 mil).

"Em função da pandemia da Covid-19, a mobilidade passa por uma intensa transformação. Com um menor número de pessoas transitando por ruas e estradas, os acidentes caíram na mesma proporção. Esse cenário beneficiou principalmente os pedestres, os mais expostos em caso de acidentes. Hoje, esse grupo registra o menor número de mortes dos últimos 5 anos", destaca Ernesto Mascellani Neto, presidente do Detran-SP (Departamento Estadual de Trânsito).

 

Fatalidades em julho
Todos os modais - Estado de SP

 

Histórico - Fatalidades por mês
Todos os modais - Estado de SP (janeiro a julho)

Estatísticas regionais

No Estado, 12 das 16 regiões administrativas obtiveram reduções nas fatalidades. Marília registrou a maior queda, passando de 28 mortes em julho de 2019 para 8 neste ano (-71%). Já a região de Franca saltou de 8 ocorrências para 24 no mesmo período (+200%). Na região metropolitana de São Paulo, a redução foi de 20%, sendo que a capital teve queda de 32% (48 fatalidades contra 71 em 2019).

Acidentes fatais em vias municipais registraram redução de 10,9% em julho. Já nas rodovias que cortam o Estado, a queda foi ainda mais expressiva (-22,1%). As ocorrências concentram-se no período noturno (55,5%) e nos finais de semana (45,8%). A maior parte das vítimas é homem (87,3%) e condutor do veículo (61,7%), enquanto as colisões entre veículos foram o principal tipo de acidente (38,6%).

Modais

Pedestres obtiveram a maior redução no número de óbitos. Foram registradas 92 ocorrências em julho contra 128 no mesmo período do ano passado (-28,1%). No acumulado do ano, a queda é de 18,5% em relação ao ano passado.

A redução chega a 36,8% na comparação com os primeiros sete meses de 2015, início da série histórica do Infosiga SP, o que representa 382 mortes evitadas. Os números refletem também a redução das fatalidades entre idosos (-27%). Entre janeiro e julho deste ano, uma em cada três vítimas de atropelamento (34%) tinha mais de 60 anos.

 

Fatalidade de pedestres por ano
Estado de SP (janeiro a julho)

Motociclistas lideram as estatísticas do Infosiga SP em julho com 139 óbitos, mesmo número do ano passado. Apesar da queda expressiva nos índices, ocupantes de automóveis passaram a ocupar o segundo lugar, ultrapassando os pedestres. No mês passado, foram registradas 108 fatalidades contra 142 em 2019, redução de 23,9%. Entre os ciclistas, as fatalidades recuaram 12,8% (34 casos contra 39 no ano anterior).

"Apesar das reduções, estamos cientes de que permanece o desafio de tornar nossas ruas e estradas mais humanas e seguras. O governo faz seu papel, incentivando o respeito às leis de trânsito e provendo informações atualizadas e de qualidade por meio do Infosiga SP. Essas estatísticas norteiam ações de fiscalização da Polícia Militar e projetos para a mitigação de acidentes em rodovias, além de projetos para vias urbanas em parceria com as prefeituras. Estamos no caminho certo e seguimos com o nobre trabalho de salvar vidas em nossas ruas e estradas", conclui o presidente do Detran-SP.

Veja também