Filhos de policiais visitam quartel do 18º BPM/I

Cerca de 120 crianças conheceram as instalações onde os pais atuam, além de diferentes modalidades de policiamento

PRUDENTE - ANNE ABE

Data 25/10/2017
Horário 11:36

Toda semana, diversas crianças, com faixa etária variada, de diferentes escolas e projetos da região participam de um passeio pelo quartel do 18º BPM/I (Batalhão de Polícia Militar do Interior). Contudo, os visitantes da manhã de ontem foram especiais. Cerca de 120 crianças, filhos dos próprios policiais militares que atuam em cidades regionais, conheceram as instalações onde os pais atuam. Além disso, os pequenos também visitaram o Canil, a Cavalaria e diferentes modalidades de policiamento: Força Aérea, viaturas dos bombeiros, Polícia Ambiental e Força Tática.

O passeio teve como objetivo promover a harmonia familiar, causando uma interação entre pais e filhos, o que é importante para atuação do profissional, conforme aponta a chefe da Seção de Comunicação Social, capitã Silvia Andreia Mantoani. Acrescenta que, a partir disso, as crianças conhecem os ambientes em que os pais atuam e os equipamentos usados.

“Um bom profissional precisa ter uma família estruturada, então, a nossa intenção é que o policial tenha a tranquilidade com relação aos filhos. A gente abre o quartel para que as nossas famílias estejam presentes e conheçam a nossa rotina do policial”, pontua Silvia.

 

Visitantes

A cabo Viviane Tavares Falconi sempre leva o filho Heitor Falconi, 6 anos, para o quartel e, desta vez, não poderia ser diferente. Considera ser importante ocorrer esses encontros, para que haja interação dos filhos com os colegas e o ambiente de trabalho. “Ele sempre gostou de vir aqui e ver os animais”, relata.

Vestida com o uniforme da Força Tática, com apenas 3 anos, Júlia Henriques de Souza foi visitar o local de trabalho do pai e, desde pequena, já diz querer seguir os mesmo passos, mas voltados para a área médica. De todo o passeio, o que mais chamou a sua atenção foi o helicóptero, justificado “por ser um lugar alto”, do qual não tem medo. “Meu pai me ensinou a ser corajosa e gosto de brincar de ser policial”, afirma.

Vinda de Martinópolis, a dona de casa Silmara Costa Lourenço Merchioli, 33 anos, levou o filho de 4 anos para conhecer o trabalho do pai. Para ela, o contato é importante tanto para a criança, que passa a saber como os policiais atuam, quanto para o marido, que nota o apoio e orgulho dos familiares quanto à profissão escolhida. “Ele sempre brinca de ser policial em casa e está animado com a visita, principalmente com o helicóptero, pois é algo novo. Gosto que ele tenha contato com esse meio”, declara, orgulhosa.

Veja também