Filme do centenário é lançado hoje em Presidente Prudente

Após três anos de pesquisas, História & Estórias faz uma viagem ao passado prometendo emocionar convidados para sua estreia

VARIEDADES - Oslaine Da Silva

Data 07/06/2017
Horário 13:26
Divulgação, Atores Antonio Petrin e Gésio Amadeu em uma das belas cenas do longa-metragem
Divulgação, Atores Antonio Petrin e Gésio Amadeu em uma das belas cenas do longa-metragem

Às 19h30 deste dia 7 de junho de 2017 ficará registrada em documentos históricos, textos jornalísticos, e principalmente na memória do povo prudentino. Chegou o grande dia e após três anos de pesquisas e mais pesquisas, será lançado nesta noite o longa-metragem “História & Estórias – Cem Anos de Presidente Prudente”, no Teatro Paulo Roberto Lisboa, no Centro Cultural Matarazzo. Esta noite exclusivamente para autoridades locais, atores, familiares e convidados. Amanhã, aberto ao público em geral, às 20h. E no fim de semana, exibição na Sala de Cinema Condessa Filomena Matarazzo. A entrada é franca.

O filme que tem roteiro e direção do prudentino Vicentini Gomez, figura querida no meio artístico brasileiro, é uma realização do governo municipal, por meio da Secult (Secretaria Municipal de Cultura), Torra Torra e Palha & Cia de Criação.

Completamente emocionado, com os olhos lacrimejantes e a voz embragada, Vicentini fala da satisfação imensa que foram esses três anos intensos de trabalho com toda sua equipe envolvida dia e noite nos processo de pesquisas, que só em termos de material foram mais de 50 mil páginas entre revistas, livros, jornais como O Imparcial, A Voz do Povo, entre outros documentos. Além de visitas a museus e cidades como Porto Feliz, Cabreúva e Itu que emprestaram suas belas paisagens para cenários remotos e momentos significativos da trajetória dos desbravadores e das pessoas que construíram este município. Enfim, mais um filho nasce desse criador!

“Selecionei alguns fatos que no meu entender renderiam um filme. Mas, Prudente nesses 100 anos tem milhares de fatos que podem virar centenas de filmes com histórias que aconteceram aqui e estórias de cronistas da época, de pessoas que ainda narram tais estórias. Não dá para mensurar tamanha alegria que estou sentindo. É minha cidade. A terra onde nasci!”, exclama Vicentini.

Histórico, mas divertido!

Vicentini conta que optou por fazer um filme que fosse além do documentário formal, do didatismo histórico. Pois, sua intenção sempre foi apresentar uma obra cinematográfica coerente, contada de uma forma diferente para prender a atenção do público sem perder a função de registro histórico. Que seja uma aula de história, mas com arte e diversão.

Ele diz que visitou poucos parentes dos fundadores para que não tivesse aquela coisa de pender para um lado ou outro, buscando informações nos artigos de jornais de que cada um dos coronéis, Goulart (Antonio Petrin) e Marcondes (Carlo Briani) patrocinavam, escreviam na época. “Cheguei a ler um livro que Goulart escreveu. De tudo que trabalhamos, selecionei fatos e criei diálogos para o Doc-Fi [Documentário Ficcional] contando a história do desbravamento do oeste paulista centrado na história de Presidente Prudente nesses seus 100 anos”, explica o diretor.

Na produção, Vicentini começa o filme com o capitão Francisco Whitaker no momento da abertura da Estrada Boiadeira e o resultado da pressão das forças políticas com interesses na região para modificar o traçado inicial da Estrada de Ferro Sorocabana. O projeto da ferrovia previa, ainda no Império, que, após Botucatu, os trilhos se dirigiriam às barrancas do Rio Paranapanema, na altura da foz do Tibagi. Segundo o roteirista, o novo traçado, definido pelas pressões políticas e econômicas para alcançar o Porto Tibiriçá (hoje Presidente Epitácio), nas margens do Rio Paraná, “foi decisivo na transformação do Oeste Paulista e no surgimento e desenvolvimento de Presidente Prudente”.

“Olha só, do nada chega um maluco Goulart, em 1917, e em pouco tempo transforma o lugar. Pouco tempo depois chega outro cara, Marcondes, este um investidor e não fundador, que ajuda a desenvolver a cidade. Eles criaram uma rivalidade muito grande, mas que ajudou a impulsionar o desenvolvimento do povoado. Tudo isso é narrado, inclusive a morte de Goulart, ainda muito jovem, de outros personagens como de uma adivinha que era protegida por monsenhor Sarrion, que previu a morte de Goulart. Tem muita coisa linda”, emociona-se.

 

Cada detalhe

Para realizar o filme, Vicentini Gomez dispôs - além do trabalho da equipe técnica e de 212 pessoas, entre atores, figurantes e colaboradores locais - de cerca de 30 mil itens de material iconográfico como fotos, gravuras e imagens em movimento de arquivo, 3D, 2D e computação gráfica elaborada especialmente para esse registro do centenário de Presidente Prudente.

Renomados atores da televisão e do teatro brasileiro enriquecem ainda mais a nossa história. Entre eles Antonio Petrin, Carlo Briani, Gésio Amadeu, Genézio de Barros, Jaime Leibovitch, Barbara Bruno, Cléo Ventura, Carlos Meceni, Maximiliana Reis, Pascoal da Conceição, Norival Rizzo, Roberto Arduin, Carla Masumoto, Edson Montenegro, Marcelo Aquino, Dan Rosseto, Marcelo Galdino, Luiz Carlos Felix, Helio Cicero, Calixto de Inhamuns, Diaulas Ullysses, Pedro Paulo Vicentini, Marcos Oliveira, Eduardo Acaiabe, Vanessa Carvalho e Eduardo Acaiabe.

“Preciso lembrar que tem muita coisa aqui, muito material, especialmente no museu, que pode virar filme. Com este filme, eu faço uma provocação, para que a galera boa de audiovisual que tem na cidade para criarem outras grandes produções sobre vários fatos, como no Esporte, com o basquete que tem uma história fantástica. De pessoas que foram dadas como mortas na época da Ditadura Militar e depois reativaram seus nomes e voltaram a circular. É muita coisa”, indica o diretor.

 

FICHA TÉCNICA

Filme: História & Estórias

Roteiro e Direção: Vicentini Gomez

Edição e finalização: Hugo Caserta

Fotografia: Newton Ribas e Vicentini Gomez

Direção de arte: Madalena Machado e Vicentini Gomez

Assessoria em história: Jonas Soares de Souza

Assessoria história local: Ronaldo Macedo

Som direto: Roberto Uffo Rodrigues

Trilha original: Michel Vicentine e Jotacê Cardoso

Produção: Palha & Cia – Casa de Criação

Apoio: ProAC (Programa de Ação Cultural) da Secretaria do Estado da Cultura de São Paulo

Doc-Fic. 2017. Duração: 75 minutos. Classificação: Livre.    

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=xxX3F0Zi160&feature=youtu.be

Veja também