FNL protesta por lotes de assentamento rural

Acampados de Marabá Paulista estiveram na sede do Itesp, em Prudente, para reivindicar reavaliação em lista de beneficiários

PRUDENTE - ANDRÉ ESTEVES

Data 20/09/2016
Horário 09:10

 


Membros da FNL (Frente Nacional de Luta Campo e Cidade) invadiram a sede da Fundação Itesp (Instituto de Terras do Estado de São Paulo), em Presidente Prudente, na manhã de ontem, a fim de reivindicar o cancelamento da lista de beneficiários de lotes em Marabá Paulista e a reavaliação dos cadastros. De acordo com a dirigente regional do movimento, Edna Torriani, a lista divulgada pelo órgão apresenta nomes com pontuação inferior à dos membros do grupo. "Estamos indignados, pois apenas quatro acampados nossos foram contemplados com os 30% da Fazenda Floresta e ainda como suplentes. Tem pessoas na lista com menos pontos que nós, portanto, estamos aqui para conversar e pedir a correção dos classificados", expõe.

Jornal O Imparcial Membros da FNL alegam inconsistência em lista de beneficiários

O agricultor Ronaldo Alves Barbosa, 32 anos, participou da reunião com a coordenadoria do Itesp e diz "estar de mãos atadas". "Eu moro em um barraco de lona há quatro anos com minha esposa e meus filhos. Não tenho condição de comprar um sítio. Para piorar, sai uma lista dessa que acaba deixando a gente de fora, enquanto pessoas que buscam a área apenas para lazer são classificadas. Minha família precisa da terra para morar e trabalhar", protesta. A maior preocupação do agricultor é que seu nome nunca chegue na mesa de seleção e o Estado acabe tirando sua família do local. "Se houver uma reintegração de posse, minha esposa, meus filhos e eu não vamos ter onde morar", lamenta.

A trabalhadora rural Débora Cristiane Dória, 44 anos, diz que a situação "afeta muito" a vida dos acampados, sobretudo, por terem sido "vítimas de uma lista equivocada". "A minha pontuação ultrapassa à do primeiro lugar. O objetivo do nosso ato é pedir pelo menos a revisão dos cadastros. A conversa foi pacífica e agora voltaremos para casa. No entanto, se não cumprirem, outras ações serão realizadas", adianta.

O coordenador regional do Itesp, Marco Tulio Vanalli, recebeu alguns integrantes do movimento para ouvir a respeito do problema e buscar uma solução. "Os membros não concordam com a lista e afirmam que houve inconsistência nos resultados. Segundo eles, a pontuação apontada pela Comissão de Seleção Pública não corresponde à pontuação dos acampados", esclarece. Conforme Marco Túlio, o Itesp irá orientar a comissão quanto à verificação dos recursos, com o objetivo de identificar possíveis erros. "Se houver, eles serão devidamente corrigidos. A partir disso, será publicada uma nova lista, bem como a convocação das famílias", acentua.

 

Veja também