Fora das ruas: duas mulheres são presas na “Operação Harakat”

Ação conjunta entre as polícias Civil e Militar, em combate ao tráfico de drogas, começou há três meses com o mapeamento das moradoras de Pirapozinho e Tarabai

REGIÃO - OSLAINE SILVA

Data 11/11/2021
Horário 10:42
Foto:  Reprodução/Vídeo Polícia Civil
“Operação Harakat” foi deflagrada às 5h da manhã em Pirapozinho
“Operação Harakat” foi deflagrada às 5h da manhã em Pirapozinho

Em uma ação conjunta entre a Polícia Civil e Militar, através da Delegacia de Polícia de Pirapozinho, foi deflagrada no clarear de hoje, mais precisamente, às 5h, a “Operação Harakat” (tráfico em árabe) nas cidades de Pirapozinho e Tarabai. Foram cumpridos seis mandados de busca e dois de prisão temporária na ação que busca combater pequenos e médios distribuidores de entorpecentes na cidade ligados a uma rede local e regional de distribuição e consumo de maconha e cocaína. 
Segundo o delegado Dr. Rafael Guerreiro Galvão as duas pessoas presas são mulheres, uma de 41 anos moradora de Pirapozinho e a outra de 28, de Tarabai. As duas foram encaminhadas à Cadeia Pública de Dracena onde permanecerão à disposição da Justiça.
“A operação começou há três meses, fruto de anteriores cumprimentos de mandados de busca, com o mapeamento dessas mulheres, a de 41 anos do bairro Natal Marrafon, em Pirapozinho, e a outra de Tarabai, que estariam sendo responsáveis pela distribuição, o tráfico de drogas em ambas as cidades”, narra Rafael Galvão. 
O delegado explica que com a prisão dessas pessoas seus interrogatórios e apreensões de documentos físicos e digitais as investigações irão prosseguir e mais núcleos criminosos serão desmantelados. E lembra que, combater o pequeno tráfico local ajuda na diminuição dos delitos, como crimes de violência, crimes de sangue e delitos patrimoniais.
“Quando combatemos o tráfico de drogas não é só o crime de tráfico que estamos coibindo, mas também os delitos que estão gravitando ao redor dele, como crimes de sangue, por exemplo, como lesões corporais, as tentativas e homicídios. Os delitos patrimoniais, como os roubos e furtos e outros vários delitos”, destaca o delegado responsável pela operação que contou com 24 policiais, sendo 12 civis e 12 militares, além do canil do 8º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia).

 “Quando combatemos o tráfico de drogas não é só o crime de tráfico que estamos coibindo, mas também os delitos que estão gravitando ao redor dele, como crimes de sangue, por exemplo, como lesões corporais, as tentativas e homicídios. Os delitos patrimoniais, como os roubos e furtos e outros vários delitos”

Dr. Rafael Guerreiro Galvão

 

Reprodução/Vídeo Polícia Civil

Dr. Rafael diz que as investigações prosseguirão e mais núcleos criminosos serão desmantelados

Veja também