Formação: Carta de São Paulo aos Gálatas!

Diocese Informa

COLUNA - Diocese Informa

Data 19/09/2021
Horário 06:05

Demos início semana passada a uma breve formação acerca da Carta de São Paulo aos Gálatas. Hoje traremos noções breves sobre alguns temas tratados por Paulo, a saber: 1) O evangelho de Paulo, 2) Fé e obras, 3) Adultos em Cristo, 4) A vida segundo a lei de Cristo, 5) O serviço, 6) A solidariedade, 7) A partilha! Vejamos cada um deles! 1) Paulo anuncia a Pessoa de Jesus Cristo, morto e ressuscitado, ou seja, ele prega o evangelho da cruz. A morte de Cristo nos libertou. Portanto, não podem os cristãos da Galácia dar crédito a pregações contrárias à cruz. Seu evangelho não é fruto de invenção e nem foi recebido de homens, mas sim por revelação, do próprio Senhor Jesus (Cf. Gl1,11-14). Ele foi escolhido por Deus antes de nascer, como o fora Jeremias (Jr 1,5). Paulo defende seu evangelho mostrando que sua vocação é autêntica porque ele recebeu sua missão diretamente de Jesus Cristo (Gl1,12) e a ela vai ser fiel. 2) Paulo afirma que a justificação é realizada pela  fé e não pelas obras! A fé é o princípio de toda a vida cristã. Mas que fique claro: Paulo diz categoricamente que “a fé se traduz no amor” (Gl 5,6). Realmente se entende que o cristão que crê deve fazer obras da fé. A fé é operativa, precisa ser demonstrada na prática. 3) Nossa filiação divina é realizada pelo Espírito. Somos adultos na fé e não mais crianças. 4) Cristo nos libertou e é para a liberdade que ele nos libertou, ensina Paulo. A comunidade é o terreno onde o amor cresce e produz frutos bons. E Paulo aponta gestos concretos: 5) O serviço - “Coloquem-se a serviço uns dos outros” (Gl 5,13b); 6) A solidariedade - “Carreguem  os fardos uns dos outros, e assim vocês estão cumprindo a lei de Cristo” (Gl 6,2-5); 7) A partilha - “Aquele que recebe o ensinamento da palavra deve repartir seus bens com aquele que o instrui” (Gl 6,6). A carta aos gálatas oferece certos critérios para identificar o verdadeiro agente de pastoral.  Paulo é o modelo do verdadeiro agente. Eis algumas certezas que animaram Paulo e podem animar também o verdadeiro agente de pastoral: Ser apóstolo da parte de Deus e não dos homens (1.1); saber-se escolhido por Deus antes de nascer (1,15); não tornar inútil a graça de Deus (2,20); saber corrigir com mansidão (6,1); ser verdadeiramente livre (5,1); a Escritura é a norma (3,28); amar ao próximo como a si mesmo (5,14). Semana que vem encerraremos com uma breve síntese da Carta de São Paulo aos Gálatas. Que tenhamos amor pela Palavra de Deus e, que ela traga vida a nossa vida! (Autor: Padre Rafael Moreira Campos)

MINI SERMÃO:
25º Domingo do Tempo Comum (Mc 9,30-37)

A cruz não foi mais uma parábola de Jesus. Ela é realidade. A tristeza sempre vem seguida da felicidade. Não permitamos que as tristezas nos dominem desnecessariamente, mas esperemos por realidades melhores. Primeiro a cruz, depois a ressurreição! Caminhando disputavam o primeiro lugar. Jesus sentado ensinou a humildade. Os que disputam se cansam e, os humildes descansam. Jesus quer que alcancemos o posto mais alto. Isso não quer dizer estar no primeiro lugar. Alcancemos alturas por meio da humildade. Jesus pretende que mereçamos a altura pela humildade. Abraçar a criança significa que os humildes são dignos de Seu Amor. Se quiser ser o primeiro, então, ame! (Autor: Padre Rafael Moreira Campos)

AGENDA PAROQUIAL: Paróquia São João Batista – Pirapozinho
Missas:
Sábado às 19h30 – Igreja Matriz;     
Domingo às 7h, 10h e 19h – Igreja Matriz | às 8h30 – Capela São Francisco de Assis | às 10h – Capela N. Sra. das Dores.

MENSAGEM DO PAPA:
Esta ânsia de mundanidade é o espírito do mundo e, quem respira este espírito, respira a inimizade de Deus. Jesus, em outro trecho, diz aos discípulos: “Ou estão comigo ou contra mim”. Não há conchavos no Evangelho. E quando alguém quer viver o Evangelho fazendo conchavos, no final se encontra com o espírito mundano, que sempre busca pactos para galgar mais, para dominar, para ser maior. Hoje todo o mundo é semeado por guerras. Mas e as guerras entre nós? Como aquela que havia entre os apóstolos: quem é o mais importante? Portanto, não se deve “negociar com o espírito do mundo”, não é preciso dizer: “Tenho direito àquele lugar, porque olhem a carreira que eu fiz”. A mundanidade, com efeito, “é inimigo de Deus”. Ao invés, é preciso ouvir esta palavra “tão sábia” e encorajadora que Jesus diz no Evangelho: “Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!” (Fonte: www.vaticannews.va/pt/papa/news/2020-02/papa-francisco)

Padre Rafael Moreira Campos    
Vigário da Paróquia São João Batista – Pirapozinho/SP
"Ouse ser o melhor. Ame!"
Instagram @padrerafaelmoreira
 

Veja também