Frigorífico oficializa demissões em Epitácio

REGIÃO - Jean Ramalho

Data 19/08/2016
Horário 09:51
 

Exatamente um mês depois de anunciar o encerramento das atividades, a JBS/Friboi iniciou ontem o processo de homologação das demissões e transferências dos trabalhadores da unidade de Presidente Epitácio. Os primeiros 250 empregados assinaram suas rescisões contratuais ainda na manhã de ontem, enquanto que outros 275 devem ser efetivamente demitidos hoje, segundo informações do Sintiapp (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Presidente Prudente e Região).

A unidade de Epitácio da JBS/Friboi contava com 795 funcionários, quando o grupo anunciou a suspensão das operações, alegando inviabilidade financeira, sobretudo, após o Decreto 61.907/16, do governo do Estado de São Paulo, que instituiu novas regras tributárias. Deste total, 525 começaram a ser demitidos ontem, processo que segue nesta sexta-feira.

Por outro lado, entre 20 e 70 empregados optaram pela transferência para outras unidades do grupo, localizadas nos Estados de Mato Grosso do Sul, Goiás ou Minas Gerais. Enquanto que o restante, algo em torno de 200 pessoas, continuará trabalhando na unidade epitaciana até o fechamento efetivo das portas, nos setores de carregamento e de varejo, que seguirão funcionando por tempo indeterminado.

De acordo com o presidente do Sintiapp, Roberto Moreira, os primeiros funcionários demitidos foram divididos em dois grupos e receberam senhas. Além dos empregados, dos representantes da empresa e do sindicato, as homologações tiveram a participação direta de funcionários da CEF (Caixa Econômica Federal), para emissão dos documentos relativos ao FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

 

Idas e vindas

As demissões encerram um período de um mês de muitas batalhas travadas pelo Sintiapp e o MPT (Ministério Público do Trabalho), contra o grupo JBS/Friboi. Entre idas e vindas nos tribunais, audiências de conciliação e liminar, a Corte Superior do TST (Tribunal Superior do Trabalho), por meio de decisão do ministro corregedor-geral, Renato de Lacerda Paiva, acatou o pedido de correição parcial e extinguiu as esperanças dos trabalhadores. O magistrado derrubou a liminar que suspendeu a demissão em massa dos empregados e decretou o desligamento dos colaboradores da empresa. Procurada para se posicionar, a JBS/Friboi não retornou a demanda acerca das homologações.

 

Veja também