Greve de docentes tem 95,6% de adesão na região

Segundo a Apeoesp, apenas em Prudente, a paralisação dos professores chega a 90%; greve geral teve início na quarta-feira

PRUDENTE - MARIANE GASPARETO

Data 16/03/2017
Horário 10:47


A greve geral dos professores da rede estadual de ensino teve início ontem atingindo 95,6% de adesão na região de Presidente Prudente, segundo a Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo). Apenas na capital da Alta Sorocabana, a paralisação foi aderida por aproximadamente 90% dos profissionais, de acordo com o conselheiro estadual de representantes da Apeoesp, Wilian Hugo Correia dos Santos. A greve abrange 53 escolas estaduais de 22 municípios, sendo 19 com adesão parcial e 34 completamente paralisadas.

Jornal O Imparcial Pierro: "Paralisamos contra a reforma previdenciária"

Agora o sindicato aguarda pelas negociações com o Estado para a definição dos rumos da greve e período de extensão. Na tarde de ontem, inclusive, uma assembleia determinou os próximos passos do movimento. As principais reivindicações são a campanha salarial, a reforma do ensino médio, a aplicação da Meta 17 do Plano Estadual de Educação (a respeito da equiparação salarial com as demais categorias de formação equivalente), melhores condições de trabalho, contra o fechamento de escolas e a retirada de disciplinas do ensino médio.

A Secretaria de Estado de Educação foi procurada para se posicionar sobre o assunto, mas não respondeu até o fechamento da matéria.

 

Fatec e Etecs

As unidades do Centro Paula Souza em Presidente Prudente – Fatec (Faculdade de Tecnologia do Estado), Etec (Escola Técnica Estadual) Professor Adolpho Arruda Mello e Etec Professor Dr. Antônio Eufrásio de Toledo – também estavam completamente paralisadas na manhã de ontem. A paralisação, porém, foi por uma reivindicação única: a não aprovação da proposta de reforma previdenciária do presidente Michel Temer (PMDB), em apreciação pela Câmara dos Deputados.

"A paralisação de um dia reuniu todos os professores do período da manhã com o intuito de manifestar a rejeição e a indignação com essas mudanças que atingem toda a população, dificultando o acesso à aposentadoria", esclarece um dos professores, Pierro Perego. Até funcionários do setor administrativo das unidades do centro se uniram à manifestação para dar força ao movimento, totalizando uma participação de 25 profissionais.

 

Veja também