Iepê oferece oficina gratuita que permite empreender de casa

Projeto trabalha o artesanato como fonte de renda e tem patrocínio do Grupo Cocal, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura

VARIEDADES - DA REDAÇÃO

Data 03/10/2021
Horário 08:00
Foto: Agência 20onze
Aulas, ministradas para cerca de 30 pessoas, oferecem uma imersão na vasta e diversa arte nativa brasileira
Aulas, ministradas para cerca de 30 pessoas, oferecem uma imersão na vasta e diversa arte nativa brasileira

A população de Iepê recebe oficinas de artesanatos naturais gratuitas visando possibilitar uma forma de empreender a partir de suas casas. As aulas, patrocinadas pelo Grupo Cocal por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, tiveram início no dia 17 de setembro e são ministradas para cerca de 30 pessoas (jovens, adultos e a terceira idade) até novembro.
A artista plástica, Jaqueline Oliveira Veloso, é quem ministra as aulas, oferecendo uma imersão na vasta e diversa arte nativa brasileira, em especial a reutilização do bagaço de cana. Nas oficinas artesanais, os alunos aprendem a reutilizar materiais naturais e recicláveis, buscando trabalhar a sustentabilidade nos itens utilizados no dia a dia. Para isso, trabalham com itens locais para produção dos materiais na oficina.
Todas as atividades têm como foco o aprendizado e a geração de renda, para que os participantes possam transformar o que aprenderam em fonte de renda. Os temas abordados serão: artesanato através do bagaço de cana, pintura natural, tecelagem manual, produção de tintas naturais, produção e mercado de biojoias, marchetaria e oficina de técnicas mistas. Cada oficina tem duas horas de duração e serão 12 encontros no total. Ao final das aulas, ocorrerá uma exposição gratuita do material produzido pelos alunos.
Clara Aidar, idealizadora do projeto, explica que as aulas buscam associar técnicas artesanais à criação de produtos diferenciados e artísticos, com potencial de comercialização. “Essa ligação entre as artesanias manuais visa trazer uma diferenciação a cada trabalho produzido, uma vez que cada aluno faz escolhas distintas que expressam suas preferências e afinidades. Nesse sentido, podemos dizer que cada trabalho confeccionado e posteriormente comercializado é único, singular e representativo”, enfatiza.
O projeto Arte e Diversidade Brasileira é patrocinado pelo Grupo Cocal, com recursos de incentivo proveniente da Lei Federal de Incentivo à Cultura, conta com a realização da MR2 Cultural e apoio da Prefeitura de Paraguaçu Paulista. “A Cocal trabalha para promover o desenvolvimento econômico, cultural e socioambiental das regiões onde atua. Acreditamos que, por meio do apoio a programas e atividades educacionais, culturais e esportivas para crianças, adolescentes e também adultos, podemos ser agentes de mudanças e gerar um impacto social na vida da população”, afirma Fernando Romano, gerente de Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Social do Grupo Cocal.

Foto: Agência 20onze

Nas oficinas artesanais, alunos aprendem a reutilizar materiais naturais e recicláveis

Veja também