Índices de Breteau e de Infestação Predial em Prudente ficam em 0,5

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 31/05/2016
Horário 09:18
A VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal) divulgou, ontem, os novos índices de Breteau (IB) e de Infestação Predial (IIP). Ambos, segundo o órgão, estão avaliados em 0,5, o que, conforme a OMS (Organização Mundial de Saúde), é tolerável. De acordo com o órgão, índices acima de 1 a até 3,9 são tidos como situação de alerta e superior a 4 como risco de surto.

Comparando a outros anos, a VEM revela que desde 2008 este é o ano em que o órgão apresenta o segundo menor IB, o primeiro foi em 2011, quando foi avaliado em 0,3. Já em relação ao IIP, este é o terceiro menor índice, sendo que o primeiro e segundo foram em 2011 (0,3) e em 2010 (0,4). "Geralmente, os índices são avaliados em julho. Entretanto, neste ano, devido ao aumento de casos, o trabalho foi adiantado para maio", informa Elaine Bertacco, educadora de saúde da VEM.

Jornal O Imparcial Agentes realizaram vistoria em 4.631 imóveis de Prudente

Elaine diz ainda que o objetivo em realizar o IB é ter conhecimento da situação de infestação no município. Além disso, afirma que o trabalho possibilita identificar os criadouros predominantes e um melhor direcionamento das ações de controle para as áreas mais críticas.

"O verão já acabou e o pico da epidemia de dengue passou. Entretanto, o problema está longe de ser resolvido e não é hora de baixar a guarda. Pelo contrário, é justamente no inverno que o combate ao mosquito Aedes aegypti, bem como às doenças transmitidas por ele, precisa ser intensificado", completa a educadora.

 

Áreas avaliadas


Detalhando por áreas, a VEM expõe que os agentes de combate à endemia realizaram a vistoria em 4.631 imóveis. Em relação aos índices, as áreas 1 e 3 foram as que apresentaram os menores, tendo IB e IIP avaliados em 0,2. A primeira é compreendida por bairros como Monte Carlo, Prudentino, Mario Amato, Shiraiwa, Vale do Sol, Villa Real, Girassóis, Alto da Boa Vista, Higienópolis, Damhas, entre outros, enquanto que a segunda citada inclui Jardim das Rosas, Central Park, Icaraí, Morumbi, Cinquentenário, Cerejeiras, Bela Daria, Bongiovani, Industrial e Vila Formosa.

Na contramão dos índices baixos aparece a área 6, com IB avaliado em 2,1 e IIP em 1,5. Ambos, segundo a OMS, são considerados como "situação de alerta". Esta área é compreendida por bairros como Maré Mansa, Novo Bongiovani, Maracanã, Eldorado, São Matheus, São Lucas, Vitória Régia, Jardim Iguaçu, entre outros.

Já a área 4 apresenta ambos os índices em 0,3. Os bairros desta são: Vila Furquim, Itapura I e II, Sumaré, Residencial Itapuã, Parque Alvorada, Brasília, Planalto, Santa Mônica, entre outros. As áreas 2 e 5 têm índices avaliados em 0,5. A primeira é composta pelos bairros Residencial Green Ville, Funada, Vale Verde, Servantes, Ouro Verde, Jequitibás, Everest, Cohab e outros; e a segunda pelo Bosque, centro, Maristela, jardins Aviação, Estoril, Paulista, Parque São Judas Tadeu, entre outros.

Por fim, a área 7 obteve índices avaliados em 0,6. Esta é compreendida por bairros como Augusto de Paula, Brasil Novo, Francisco Belo Galindo, Jardim Morada do Sol, Vila Operária e Vale das Parreiras. (Com Secretaria Municipal de Comunicação)

 

Veja também