Intérpretes de Libras orientam eleitores com deficiência auditiva em Prudente

Dos 2.635 votantes prudentinos que declaram possuir algum tipo de deficiência, 107 têm problemas auditivos, aponta TSE

Eleições - ANDRÉ ESTEVES

Data 15/11/2020
Horário 09:36
Cedida - Voluntários prestam atendimento a eleitores com deficiência auditiva
Cedida - Voluntários prestam atendimento a eleitores com deficiência auditiva

Uma das novidades das eleições municipais deste ano é que algumas escolas contam com intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais), que tornam possível o atendimento e a orientação de eleitores com alguma deficiência auditiva nos locais de votação.

Em Presidente Prudente, dos 178.309 eleitores aptos para votar neste ano, 2.635 declaram possuir algum tipo de deficiência. Deste número, 107 (8,22%) são deficientes auditivos, conforme dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Entre os intérpretes voluntários, está a prudentina Isabela Marinho Menezes, que atua hoje na Escola Estadual Monsenhor Sarrion, na Vila Roberto. Ela utiliza um modelo de máscara transparente, considerando que pessoas com deficiência auditiva fazem uso da leitura labial para compreender o que está sendo dito pelo falante.

Cedida - Prudentina Isabela Marinho Menezes utiliza modelo de máscara transparente

Cedida - Inclusiva, máscara transparente facilita comunicação entre intérpretes e pessoas com deficiência

Cedida - Presença dos intérpretes é uma das novidades das eleições deste ano

Veja também