Kato em família

Sinomar

O vereador mais votado de Presidente Prudente, com a esposa Nara e suas gêmeas

COLUNA - Sinomar

Data 06/01/2021
Horário 04:45
Douglas Kato passou as festas de final de ano em casa; na foto, ele com a esposa Nara e as filhinhas do casal
Douglas Kato passou as festas de final de ano em casa; na foto, ele com a esposa Nara e as filhinhas do casal

Vereador Douglas Kato Pauluzi, 35 anos, ex-vice-prefeito na gestão Nelson Roberto Bugalho, eleito vereador pela segunda vez, agora como o mais votado na eleição de Presidente Prudente, passou as festas de final de ano em casa, só com os pais, irmãos, sua esposa Nara e as filhinhas do casal, Eloah e Mariah, gêmeas de 6 meses. Na primeira semana do ano, mesmo com o Legislativo ainda em recesso, Douglas já foi ao seu gabinete diariamente “organizando as coisas para o início das atividades parlamentares, pois não aguento ficar só em casa”.

BOM DIA
"O vento não quebra uma árvore que se dobra" (provérbio africano). Humildade sempre!

XENOFOBIA
"Corona, corona! Volte para o seu país." Em meio à pandemia de coronavírus, brasileiros contam que vêm sendo vítimas de hostilidades no exterior. Segundo relatos de viajantes na Índia e em alguns países da África, estrangeiros têm sido expulsos de hotéis, sofrido constrangimento por parte de autoridades e ouvido frases como a da abertura deste texto na rua. Até na China, origem da pandemia, há casos de preconceito contra estrangeiros, desde que o país conseguiu reduzir a transmissão local e começou um esforço para evitar uma segunda onda de contaminação, desta vez vinda de fora.

PARANOIA
Uma reportagem do jornal inglês The Guardian traz casos de pessoas expulsas de restaurantes, lojas e hotéis, e um vídeo que circula na internet mostra três russos impedidos de entrar em uma loja para comprar máscaras. Na Índia, 180 brasileiros tentam ser repatriados e relatam ter sofrido hostilidades por parte da população e até da polícia.

ALBERICO PASQUALINI

“Creci combate severamente
o exercício ilegal da profissão”

A instalação da Delegacia Creci (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis) em 2000 foi um marco divisor nos negócios imobiliários em Presidente Prudente, revelou Alberico Pasqualini, delegado regional do conselho, em entrevista à revista Domingo. De acordo com Pasqualini, o exercício ilegal da profissão “desde então passou a ser combatido severamente”, o que contribuiu para acabar, por exemplo, com os loteamentos clandestinos. Contou que “o último foi registrado em Álvares Machado e foi alvo de reportagem nacional devido à mega operação que fizemos com o Ministério Público. A atuação do Creci tranquilizou a sociedade e trouxe respaldo às imobiliárias que trabalham corretamente”. Outro legado do Creci, pontuou Alberico, foi a aplicação da Lei do Inquilinato, na sua integralidade, trazendo tranquilidade para locadores e locatários. “Hoje você dificilmente vê um abuso, de um lado ou de outro”.  Atuação do Creci então mudou o panorama profissional em Presidente Prudente, disse Alberico: “Quando assumimos não havia 100 corretores credenciados. Hoje próximos de 700”.


Delegado regional do Creci disse que atuação do órgão acabou com os loteamentos clandestinos na região de Presidente Prudente
 

Veja também