Lançado o Mapa da Economia Paulista para orientar investimentos

Contexto Paulista

COLUNA - Contexto Paulista

Data 11/12/2019
Horário 16:28

Acaba de ser lançado pela Desenvolve-SP, o Mapa da Economia Paulista, contendo um estudo abrangente sobre as características econômicas e potencial de negócios de cada região do Estado de São Paulo. O objetivo é assessorar iniciativas empreendedoras e de investimentos e é dirigido a empresários e gestores públicos, especialmente. O mapa, elaborado com a Fundação Seade, é referência estadual na produção de estatísticas socioeconômicas e demográficas. Identifica as potencialidades, desafios e oportunidades das 16 regiões administrativas de São Paulo. Segundo o presidente do banco, Nelson Souza, “ao mapear os segmentos da indústria mais estratégicos para o Estado, passando pelos mais tradicionais até aos mais dinâmicos, tornou-se evidente a importância da inovação no desenvolvimento econômico e social das regiões administrativas”. As regiões são as de Araçatuba, Barretos, Bauru, Campinas, Central (Araraquara e São Carlos), Franca, Itapeva, Marília, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba.

Polos regionais

Para a análise dos setores estratégicos da economia paulista – alimentos, biocombustível, vestuário e confecções, couro e calçados, e máquinas e equipamentos – foram considerados indicadores relacionados à competitividade regional (geração de empregos), ao porte das empresas locais (por empregados), ao dinamismo (faturamento das empresas) e ao IPRS (Índice Paulista de Responsabilidade Social). O estudo identifica, entre as 16 regiões, os 12 “Polos de Desenvolvimento” criados pelo governo estadual. De fácil navegação, tanto em dispositivos convencionais como móveis (smartphones e tablets), o Mapa da Economia Paulista possibilita também conhecer o histórico socioeconômico de cada região e fazer comparativos de dados. O acesso à integra do estudo pode ser obtido em www.mapadaeconomiapaulista.com.br.

Fôlego em 2020

Para os economistas da Serasa Experian, a recuperação da economia brasileira deve ganhar fôlego em 2020 e o crédito será uma das principais alavancas para esse crescimento econômico.

Bombando

O mês de outubro registrou o segundo maior crescimento de vendas do setor de shopping center em 2019, com uma alta de 10,5%, de acordo com a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) e o ICVS-Abrasce (Índice Cielo de Varejo em Shopping Centers). O resultado é o mesmo alcançado em julho, ficando atrás apenas do desempenho de fevereiro, que atingiu 11,7%.

PIB paulista

O PIB (Produto Interno Bruto) calculado pela Fundação Seade para o Estado de São Paulo avançou 0,1% no trimestre encerrado em setembro de 2019, em relação ao trimestre anterior, com aumento nos serviços (0,6%) e na agropecuária (7,6%), e variação negativa na indústria (-0,2%). No confronto entre o acumulado nos últimos quatro trimestres e o dos quatro trimestres imediatamente anteriores, a economia do Estado cresceu 2,0%. Os dados são da Fundação Seade.

PIB paulista em alta

O Produto Interno Bruto do Estado de São Paulo do terceiro trimestre de 2019 foi estimado em R$ 608,2 bilhões, sendo R$ 512,8 bilhões referentes ao Valor Adicionado e R$ 95,4 bilhões aos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios. As projeções de crescimento da economia paulista para 2019 foram atualizadas, com máxima de 2,3%, média de 2,1% e mínima de 1,9%. No que se refere ao conjunto da economia brasileira, as projeções para 2019 também evoluíram positivamente, passando de 0,7% para 0,9%. O diferencial da economia paulista em relação à brasileira decorre do desempenho dos serviços, do comércio e da construção civil.

Índices regionais

A Assembleia Legislativa de São Paulo apresentará, nesta quinta-feira, diagnóstico dos 645 municípios paulistas por meio da 10ª edição do IPRS, indicador pioneiro, reconhecido pela ONU (Organização das Nações Unidas), que aponta a qualidade de vida de todas as cidades do Estado. O estudo foi elaborado pela Fundação Seade e é disponibilizado a cada dois anos.

Médicos negros

Criado em São Paulo o ILM (Instituto Luiza Mahin), que reúne profissionais médicos negros. A intenção é "assegurar equidade de direitos políticos, educacionais, sociais e econômicos para alavancar a luta antirracista, garantindo saúde e bem-estar para o povo negro", de acordo com documento da Associação de Médicas e Médicos Negros, entidade lançada na sexta-feira, na Assembleia Legislativa.

Quem é Luiza Mahin

Quituteira nas ruas de Salvador, seu oficio também lhe permitiu atuar como um ponto de comunicação e articulação entre os escravos e não escravos revolucionários, que aparentemente compravam seus quitutes, e trocavam bilhetes com recados acerca da organização da Revolta dos Malês. Foi líder e articuladora de grupos revolucionários negros, reunindo mais de 600 negros e negras revolucionários rebelados naquele dia. Em 1937, partiu da Bahia para o Rio e não foi mais encontrada. Segundo alguns historiadores, ela foi deportada para a África, como pena por sua participação na revolta.

Publicidade
eixosp

Veja também