Lar Santa Filomena pede doações para ajudar crianças e familiares

Grande parte das famílias dos assistidos pela entidade, com a pandemia da Covid-19, teve piora da situação financeira e precisa de ajuda com alimentos e produtos de limpeza

PRUDENTE - MARCO VINICIUS ROPELLI

Data 02/04/2020
Horário 06:29
Cedida - Algumas doações que são enviadas à entidade, com produtos de limpeza e alimentos
Cedida - Algumas doações que são enviadas à entidade, com produtos de limpeza e alimentos

Muitas das crianças e adolescentes atendidas pelo Lar Santa Filomena, em Presidente Prudente, têm as refeições servidas no local como as únicas do seu dia. Para os que frequentam o lar no período da manhã ou da tarde, servem café e almoço. A quarentena provocada pelo novo coronavírus, entretanto, fez com que a entidade interrompesse temporariamente a atuação presencial e tal situação pode ser danosa aos jovens. Além disso, muitos pais que trabalham de forma autônoma não estão sendo requisitados para serviços, o que torna o momento financeiro ainda mais caótico.

Durante o período, portanto, o Lar Santa Filomena pede a colaboração dos munícipes com o bem-estar das crianças atendidas pela entidade, a partir da doação de alimentos, produtos de limpeza e proteção e roupas para o inverno.

A psicóloga da entidade, Gisele Aparecida Spinelli, 35 anos, pontua que os atendimentos às 126 famílias não deixaram de ocorrer, no entanto, prioriza-se o contato remoto por telefonemas ou aplicativos de conversa, a exemplo do WhatsApp.  “A maioria delas precisa dessa ajuda. Por enquanto, conseguimos entregar cestas básicas a 13 famílias. Muitas delas ainda pedem ajuda, algumas que não possuem formas de comunicação remota vêm até o lar em busca de apoio”, explica.

“A gente precisa de doação para que consigamos atender a essa demanda, não deixamos nenhuma das crianças e adolescentes desamparados”, completa a psicóloga.

ATENDIMENTOS

REALIZADOS

Em períodos de normalidade, Gisele explica, o Lar Santa Filomena oferece dois serviços distintos a jovens de seis a 14 anos e 11 meses, o de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e o de Acolhimento. O primeiro trata-se da proteção básica, na qual são oferecidas atividades e oficinas que complementam os aprendizados escolares. O Acolhimento, por sua vez, está destinado àquelas crianças e adolescentes cujos direitos foram violados.

Durante a quarentena, ambos foram suspensos de forma provisória, mas a assistência às famílias é contínua.

SERVIÇO

“Todas as doações são bem-vindas”, destaca Gisele Spinelli. Ela ressalta que recebem os produtos tanto na sede da entidade (Rua Luiz Carlos Ferrari, 125, Jardim Itapura I), quanto fazem recolhimento das doações em domicilio. Para isso basta entrar em contato com a entidade por um destes números: 3223-4786 ou 99197-6964.

Veja também