Livros: histórias de Rancharia

Escritor José Carlos Daltozo está com dois projetos em andamento; autor das obras, ele foi convidado e aceitou publicar crônicas sobre sua terra natal, além do histórico tradicional

VARIEDADES - THIAGO MORELLO

Data 04/03/2020
Horário 05:00
Foto: Cedida - O autor possui outras dezenas de obras publicadas que seguem o mesmo padrão das trabalhadas no momento Foto: Foto: Cedida - O autor possui outras dezenas de obras publicadas que seguem o mesmo padrão das trabalhadas no momento

Quem nasceu, mora ou já morou em Rancharia (SP) ou tem alguma história interessante sobre aquela cidade pode participar do projeto - dividido em dois livros- aceito e que será de autoria do escritor José Carlos Daltozo. No estilo do livro “Crônicas Martinopolenses”, também assinado pelo artista, a primeira obra será de crônicas, sem fotos, chamado “Baú de Memórias de Rancharia”. Já o segundo, vem no estilo histórico tradicional, começando pela ferrovia, surgimento da cidade, evolução... até os dias de hoje, recheado de fotos antigas.

A estimativa é de que o primeiro possa ser publicado ainda em 2020. Já o segundo, talvez seja lançado em 13 de junho de 2021, no aniversário de Rancharia.

Com toda a experiência que possui o autor conta como recebeu o convite para estar à frente do projeto. Segundo ele, uma vez que publicou 12 livros históricos sobre Martinópolis, alguns exemplares foram adquiridos por pessoas residentes em Rancharia. “E uma dessas pessoas foi o doutor Orlando Pascotto, advogado, que me fez o convite inicialmente”, expõe Daltozo acrescentando os empresários João Fracasso e Carlos Alberto Barbeiro Fernandes, que é o presidente da Associação Comercial, que também fizeram o convite.

Sobre a essencialidade do projeto, Daltozo diz que ao seu modo de ver “todas as cidades precisariam ter suas histórias registradas em livros. Deveria existir até um projeto estadual nesse sentido, com o governo do Estado patrocinando a publicação de pelo menos uma obra de cada município”.

“A ideia é também resgatar tudo que for possível em termos de fotografias e documentos históricos sobre a cidade, a zona rural e os distritos, formando um acervo importante e perene para futuras pesquisas”, complementa.

 

COLABORAÇÃO

É IMPORTANTE

Daltozo explica que o livro de crônicas será publicado primeiro e depois o histórico. “O motivo é que, ao conversarmos com pessoas que têm bastante vivência na cidade, além de convidá-las a participar do primeiro livro, já estamos perguntando se possuem fotos antigas, documentos importantes e outras fontes primárias para o segundo livro”, frisa o escritor.

Ai está a importância da colaboração dos munícipes. “Nossa pretensão é que esse livro sobre Rancharia, também tenha participação de muitas pessoas. Será uma espécie de história não oficial da cidade. A história ranchariense contada por seus próprios moradores”, destaca o autor lembrando a experiência com “Crônicas Martinopolenses”, em que 72 pessoas participaram enviando textos interessantes sobre os mais variados assuntos.

 

PROCESSO DE

PESQUISA

“Na fase inicial das pesquisas, tenho como hábito em todos os livros que já publiquei, colocar todo o material que vou coletando aqui e ali em uma caixa. A coleta tem livros antigos, documentos, fotos, mapas, relatos e muitos xerox. É disso tudo que sairá o livro a ser publicado”, acentua o escritor.

Após o lançamento do livro de crônicas, Daltozo realizará pesquisas em cartórios, na Prefeitura, na Câmara Municipal de Rancharia, no Museu da Ferrovia, em Sorocaba (SP), no Museu e Biblioteca de Rancharia e também em Presidente Prudente (SP), como nas bibliotecas da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) e Unesp (Universidade Estadual Paulista).

Foto: Cedida - Daltozo, ranchariense que escreverá sobre sua cidade

 

Veja também