Marcola vira réu acusado de mandar matar autoridades

Além dele, outras quatro pessoas também respondem ao processo após descoberta das ordens em cartas apreendidas em 2018

Geral - ROBERTO KAWASAKI

Data 18/08/2020
Horário 10:54
Rogério Cassimiro/Folhapress - Marcola está preso na Penitenciária Federal de Brasília
Rogério Cassimiro/Folhapress - Marcola está preso na Penitenciária Federal de Brasília

Após denúncia apresentada pelo MPE (Ministério Público Estadual), Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, tornou-se réu sob a acusação de ter dado ordens para matar o promotor de Justiça Lincoln Gakiya e o coordenador da Croeste (Coordenadoria dos Presídios da Região Oeste do Estado), Roberto Medina.

A reportagem apurou que o órgão estadual apresentou a denúncia à 3ª Vara Criminal de Presidente Venceslau pelo crime de associação à organização criminosa. Além do líder da facção que atua dentro e fora do Estado de São Paulo, outras quatro pessoas também foram denunciadas – sendo elas dois homens e duas mulheres. 

Como noticiado por este diário, o plano para matar as autoridades foi descoberto em dezembro de 2018, em cartas apreendidas com duas visitantes na Penitenciária Maurício Henrique Guimarães Pereira, a P2 de Presidente Venceslau. Na época, também foi constatado um plano de fuga em andamento para o resgate da liderança. 

A investigação chegou à conclusão de que a plano para matar as autoridades seria uma represália após o pedido de transferência dos membros da facção para presídios federais - feito ocorrido em fevereiro de 2019.

Atualmente, Marcola está preso na Penitenciária Federal de Brasília.

SAIBA MAIS

“Não considero as cartas como ameaças”, afirma Gakiya

Facção paulista: um ano após remoções

Bilhete achado com preso pede morte de Gakiya e coordenador de unidades prisionais de SP

Plano para resgate de Marcola “continua em pé”

Veja também