Meu corpo sou eu, minha condição e meus limites

Jair Rodrigues Garcia Júnior

 

O que é um “corpo perfeito” para você? Um corpo magro e de peso compatível à altura, um corpo longilíneo e quase sem gordura, um corpo cheinho que preenche bem uma roupa justa, um corpo atarracado e cheio de músculos, um corpo com músculos bem definidos etc? Quem está definindo o corpo perfeito: você mesma, suas amigas ou a sociedade? Ao supervalorizar o corpo, será que outros aspectos da mesma importância (intelectual, social, espiritual) não estão sendo relevados? Está havendo equilíbrio?

 

GENÉTICA
Temos o mesmo conjunto de genes, mas temos muitas diferenças na expressão de cada um deles. Por exemplo, numa competição de fisiculturismo, todas os atletas são extremamente musculosas, porém a altura, o volume, a forma e a simetria variam entre as atletas. Isso mesmo num grupo já selecionado e homogêneo, tendo todas a predisposição para hipertrofia, todas igualmente treinando pesado e com ótima alimentação.

EXÓGENOS
Algumas pessoas que admiram e almejam o corpo de uma atriz ou atleta partem num caminho sem respeitar os próprios limites, usando produtos alimentares ou farmacológicos (hormônios, chip) que não deveriam e deixando de consumir nutrientes que são necessários (ex. carboidratos). Muitos dos produtos e medicamentos novos que estão no mercado foram testados apenas em curto prazo (poucas semanas) e não se sabe os efeitos em médio e longo prazo. Muitas vezes a pessoa está causando um desequilíbrio fisiológico que o corpo tolera apenas temporariamente.

PROCEDIMENTOS
De forma semelhante, procedimentos invasivos tais como colocação de próteses nos seios e nádegas, cirurgias plásticas, abdominoplastia, lipoescultura, lipoaspiração e outros, podem trazer satisfação e autoestima imediatas, mas também podem ter um custo futuro para saúde e outros aspectos, que vai além do preço pago ao profissional. Nos procedimentos que retiram a gordura mecanicamente, é muito comum o volume voltar em poucos meses ou anos. O que também se configura num paliativo, como as dietas da moda, que têm efeito temporário.

TREINAMENTO
Praticar exercícios é um comportamento benéfico, mas há sempre as que cometem exageros na busca mais acelerada por resultados. Treinar 7 dias por semana, treinar por mais que 2h todo dia, treinar intensamente os mesmos músculos em dias seguidos, treinar em jejum, treinar usando termogênicos, drogas etc. O planejamento do treinamento deve ser inteligente, de acordo com seu objetivo, mas também sua condição e seus limites (ex. usar a percepção subjetiva do esforço - PSE). O profissional de Educação Física pode fazer a combinação correta do tipo de exercício, duração, intensidade, cargas, pausas e frequência.

HONRA
Valorize sim o seu corpo, sua satisfação e autoestima. Busque aprimorá-lo, mas sempre dentro do possível e razoável, mantendo o equilíbrio do próprio corpo e dele como os outros aspectos não materiais. “O corpo é uma vestimenta sagrada. É com ele que chegamos e partimos dessa vida. Por isso deve ser tratado com honra”. Martha Graham, coreógrafa.

Veja também