MPE busca autoria de descarte de lixo hospitalar

Seringas, ampolas, toucas cirúrgicas e embalagens de remédios passaram por perícia e foram devidamente removidas de estrada

PRUDENTE - Mellina Dominato

Data 24/06/2014
Horário 07:37
 

 O MPE (Ministério Público Estadual) promoveu na manhã de ontem uma ação conjunta a fim de identificar o responsável pelo descarte irregular de lixo hospitalar, em uma estrada de terra que margeia o Aeroporto Estadual, no prolongamento da avenida Presidente Prudente. Seringas, ampolas, toucas cirúrgicas e embalagens de medicamentos passaram por perícia e foram devidamente removidas do local ainda no fim da manhã. André Luís Felício, promotor do Meio Ambiente, explica que, depois de identificar o responsável, vai instaurar inquéritos civil e criminal, para dar prosseguimento ao caso.

Felício conta que teve conhecimento da irregularidade por meio de uma rede social na internet. Ontem, logo cedo, acionou os órgãos competentes, para que providências fossem tomadas de imediato. "Queremos responsabilizar o autor desta ação, inclusive, criminalmente", comenta. Relata que ainda é precipitado dizer se o material pertence a algum hospital ou mesmo a uma farmácia. "Pelas embalagens que pude ver em fotos, estas são do tipo que não estão disponíveis para as pessoas comuns. Mas, tudo será analisado. Vamos ver os tipos de remédios, em quais locais são usados, por exemplo", complementa.

Jornal O Imparcial Na manhã de ontem, perícias foram realizadas no material jogado em estrada de terra

 

Responsabilidade

Pela manhã, perícias foram feitas no material descartado por equipes da Polícia Técnico-Científica, Vigilância Sanitária e o corpo técnico da Promotoria de Justiça. Os trabalhos foram acompanhados pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e pela Polícia Militar Ambiental, que registrou um boletim de ocorrência sobre o fato. A responsabilidade administrativa em relação ao caso será apurada pela Polícia Ambiental, que vai repassar o BO registrado à Polícia Civil, para prosseguimento de investigação, pontua o 1º-tenente Julio César Cacciari.

Assim que as perícias foram finalizadas, uma equipe da Vigilância Sanitária recolheu os resíduos e encaminhou para o Pronto Atendimento Médico do Conjunto Habitacional Ana Jacinta. Segundo Valéria Vendramel, coordenadora do órgão, na unidade, o material será devidamente separado e depois destinado à coleta seletiva. "Ficaremos aguardando um parecer da polícia para então encaminharmos uma autuação ao responsável pelo descarte irregular", diz.

 

Sem contaminação

No local, Rogério Nespoli Rodrigues Lopes, tecnólogo ambiental da Cesteb, acompanhou os trabalhos e constatou não ter ocorrido contaminação do solo pelos resíduos. Toda a remoção do material, a limpeza do local e a disposição do lixo de forma correta também seriam acompanhados pela companhia, aponta Lopes.

 

SAIBA MAIS

DESCARTE DE LIXO HOSPITALAR

Julio César Cacciari, 1º-tenente da Polícia Militar Ambiental, orienta as pessoas a procurarem a Vigilância Sanitária para obter informações sobre como proceder de maneira correta ao descartar materiais como os resíduos hospitalares. Em contato com o órgão, este poderá dar o encaminhamento correto e nenhuma irregularidade será cometida.

Veja também