MPE investigará instituição por "manipular preços"

PRUDENTE - André Esteves

Data 15/08/2017
Horário 12:36

A Promotoria de Justiça do Consumidor de Presidente Prudente investigará uma suposta manipulação na fixação de preços de cursos de uma instituição de ensino superior. O órgão suspeita que a unidade estabeleça “valores destoantes” e “muito acima de outras faculdades de Prudente e região”, de modo que, ao serem repassados pelo governo federal por meio do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), geram prejuízos para os cofres públicos. Salienta que não só a União arca com os custos, como também os egressos, que pagam mais caro pelo mesmo curso que outras faculdades oferecem.

Conforme o MPE (Ministério Público Estadual), tanto o Banco do Brasil quanto a CEF (Caixa Econômico Federal) foram procurados para se manifestar sobre os contratos já firmados. Além disso, não descarta a possibilidade de atuar em conjunto com a Procuradoria da República caso se confirme a suspeita, considerando que o governo federal também “estaria sendo lesado pela prática investigada”. A Promotoria alerta aos interessados em cursar uma faculdade que não sejam “seduzidos” pelo fato do curso pretendido ser financiado integralmente pelo Fies. “O importante é saber se o valor do curso encontra-se na média de outras faculdades”, pontua.

 

“O importante é saber se o valor do curso encontra-se na média de outras faculdades”

Promotoria de Justiça do Consumidor

 

A reportagem solicitou ao MEC (Ministério da Educação) um posicionamento sobre o assunto, contudo, não obteve resposta até o fechamento desta edição. A Assessoria de Imprensa da Caixa, por sua vez, informou que “não tem conhecimento da situação abordada”, enquanto o canal do Banco do Brasil comunicou que “as questões relativas do Fies são tratadas diretamente com o MEC, agente operador do programa”.

Veja também