Publicidade

Mude o paradigma da fartura para o frugal

Jair Rodrigues Garcia Júnior

Foto:

Somos o resultado da combinação dos genes com o ambiente e atitudes que tomamos. A hereditariedade (genes herdados) é como uma rota traçada para nossa vida, mas que pode ser alterada por nossos comportamentos. Ex. filho de pai diabético tipo II pode ter a predisposição genética para doença, mas nunca a desenvolver.

Genes

São sequências de DNA (“código da vida”) que funcionam como receitas para produção de nossas proteínas. Simplificadamente, nosso genoma é um livro com as receitas de todas as proteínas. Algumas receitas são utilizadas (expressão gênica) com bastante frequência e outras um pouco menos. Fatores como alimentação, jejum, exercício físico, medicamentos etc, estimulam a expressão de alguns genes, enquanto inibem a expressão de outros.

Epigenética

Refere-se a alterações da expressão dos genes, sem que a estrutura destes seja alterada. A receita básica não muda, porém a utilização desta receita (expressão gênica) pode ser alterada, resultando em mudanças no metabolismo, por exemplo. A epigenética pode significar aumento ou diminuição da produção de algumas proteínas, com consequências positivas ou negativas para a saúde.

Obesidade

Ela novamente. Essa doença tão comum altera mecanismos epigenéticos, como a metilação de genes, que influencia a expressão e produção de proteínas. Estudo recente de pesquisadores da USP de Ribeirão Preto com mulheres obesas demonstrou que havia alterações epigenéticas em genes relacionados aos cânceres de mama e coloretal (Eur J Clin Nutr https://doi.org/10.1038/s41430-020-0660-1)  

Restrição calórica

Essa é a indicação mais elementar e mais eficiente para a terapia da obesidade. Idealmente deve ser acompanhada pelo exercício físico. Em alguns casos há indicação de medicamentos ou da cirurgia bariátrica, juntamente com a dieta de restrição calórica. No estudo realizado na USP, as obesas submetidas à restrição calórica (seis semanas) perderam peso e tiveram alterados os padrões de metilação dos genes, o que diminuiu o risco dos cânceres mencionados.

Menos é mais

Estudos realizados desde 1910 demonstraram que o menor consumo de calorias (dieta mais frugal) significa mais saúde. E não apenas para obesos. Pessoas com peso “normal” são beneficiadas com a restrição leve (até –15% da necessidade) em adaptações horméticas moleculares, metabólicas e fisiológicas que diminuem a incidência de doenças e aumentam a longevidade. Porém, os nutrientes essenciais não podem faltar, sendo importante o acompanhamento de nutricionista.

 Pessoas com peso normal são beneficiadas com a restrição calórica

 

 

Veja também