Mulheres falam da importância de doar leite materno

Atualmente, 54 voluntárias contribuem para alimentar o estoque de Presidente Prudente

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 17/01/2021
Horário 06:15
Foto: Roberto Kawasaki
Ana Paula lembra dos prematuros que precisam de ajuda
Ana Paula lembra dos prematuros que precisam de ajuda

A doação do leite materno, além de um gesto de solidariedade, também é uma forma de expressar o amor para com outras famílias. Em Presidente Prudente, o Banco de Leite Materno conta com 54 mulheres dispostas a salvarem vidas – número ainda considerado baixo como em outros meses do ano passado, quando chegou a 70. Mas, basta a disponibilidade e o incentivo de outras histórias para que as voluntárias deem o primeiro passo para a doação.

A treinadora física, Mayara Bertolino Leite, 31 anos, é mãe de dois filhos. Ela conta que conheceu a doação há alguns anos, por meio de uma amiga que já era voluntária na época. “No primeiro filho fiquei insegura, mas agora no segundo estou doando tranquilamente, graças a Deus!”, afirma a mamãe, que contribui para o estoque há dois meses.  

Uma vez por semana, Mayara recebe a visita das meninas do banco que vão até a residência para recolher o que já foi retirado. “Tenho a maquininha elétrica para extração do leite. Tiro um pouco todo dia, não me cobro com quantidade”, explica. A treinadora diz que enquanto estiver amamentando o bebê, pretende contribuir como voluntária. “É um pouquinho de mim com amor para os pequenos que precisam e dependem totalmente do leite para sobreviver. Falo com os olhos cheios de lágrimas, porque é muito satisfatório poder ajudar uma vida que acabou de nascer, e consequentemente ajudar uma mãe a respirar em saber que o filho tem o alimento que mais precisa”.

 

Doação, um ato de amor


Assim como Mayara, a dentista Ana Paula Marochio Bohac Anadão, 32 anos também recebe a visita das meninas semanalmente. Mãe de primeira viagem, explica que recebeu os recipientes e, no primeiro encontro com a equipe, foi orientada sobre como fazer a extração. “Assim que estiverem completos, ligamos e elas vêm buscar. Não temos trabalho algum, é supersimples”, conta.

Sobre a iniciativa em se tornar voluntária, Ana Paula lembra dos bebês que precisam dessa ajuda e, como tem alta produção de leite, mesmo que com pouca quantidade a intenção é a de realmente colaborar. “Vou contribuir até enquanto eu amamentar. Doação é um ato de amor! Um simples gesto pode salvar vidas, muitos bebês inclusive prematuros que por algum motivo infelizmente não podem estar se alimentando desse leite, estão precisando de nossa ajuda!” salienta.

Roberto Kawasaki

Mayara amamenta o segundo filho e também faz doação de leite

 

Veja também