Na região de PP, 3,2 mil alunos participam do Enem

Além de saber o conteúdo e regras do exame, estudante deve estar atualizado sobre o que ocorre no âmbito social, sobretudo, para uma boa argumentação na redação, aponta docente

PRUDENTE - ANDRÉ ESTEVES

Data 03/11/2016
Horário 09:38
 

Está chegando o final de semana para o qual os alunos de ensino médio têm se preparado ao longo de todo o ano. Neste sábado e domingo, 3.200 estudantes de 11 cidades jurisdicionadas à Diretoria Regional de Ensino de Presidente Prudente realizam o Enem (Exame Nacional de Ensino Médio), prova promovida pelo MEC (Ministério da Educação) a fim de avaliar a qualidade do ensino médio no país e servir como porta de entrada para o ensino superior em universidades públicas, por meio do SiSU (Sistema de Seleção Unificada), ou privadas, viabilizadas pelo ProUni (Programa Universidade Para Todos).

Jornal O Imparcial Rosângela Guedes diz que tema para redação é imprevisível

Em Presidente Prudente, a Escola Estadual Professora Mirella Pesce Desidere é uma das unidades que fomentaram um conjunto de atividades para preparar os estudantes dos terceiros anos para o exame. Segundo a coordenadora de ensino médio da escola, Maria José Pazzine Alessi, 172 de 185 alunos matriculados no terceiro ano devem prestar a prova neste final de semana.

Como forma de treino, os jovens participaram nas últimas semanas de simulados e colocaram em prática as técnicas de redação aprendidas em sala de aula. De acordo com a professora de Língua Portuguesa da unidade, Rosângela Perez Guedes, a redação tem peso significativo no cálculo da nota final e muitos alunos conseguem uma vaga na universidade em virtude de seu desempenho na dissertação argumentativa. Perguntada sobre o segredo para obter uma boa performance neste campo, a professora destaca cinco competências: domínio da norma culta da Língua Portuguesa; compreensão da proposta; capacidade de seleção das informações, tendo em vista coesão, coerência e encadeamento de ideias; capacidade para argumentação; e, por fim, a elaboração de uma proposta de solução para o problema, que deve ser passível de execução e respeitar os direitos humanos.

Para praticar as cinco competências citadas, a professora aplicou pelo menos uma redação por semana, sempre com um tema de valor social, a fim de estimular a capacidade e conhecimento dos estudantes. "É importante lembrar que não basta o aluno fazer a redação, mas ter o acesso a correção para que veja onde errou e no que deve melhorar", aponta. A docente enfatiza que um requisito fundamental para um bom desempenho durante a redação é o conhecimento sobre a atualidade. "O jovem tem que estar atualizado. Não adianta conhecer todas as regras se não souber o que está acontecendo no mundo. Para isso, ele precisa fazer a leitura de jornais e revistas e assistir a documentários e telejornais, que o ajudam a ter fundamentos na hora de argumentar sobre o tema", destaca.

Segundo Rosângela, são a atualidade e o impacto social que determinam a temática da redação. "Em relação ao tema, não é possível prevê-lo e normalmente é algo pelo qual ninguém esperava. No ano passado, foi uma grande surpresa, pois grande parte das pessoas acreditava que estaria associado ao problema hídrico no país e acabou sendo sobre a violência à mulher. É importante ressaltar que a prova do Enem é fechada em maio, então, o que acontece daí em diante no Brasil não determina a escolha do tema", pontua.

 

Veja também