Nanda Souza, primeira “sommelier” da cidade

“Fui bem recebida pelos profissionais do mundo do vinho”

Personagem - Sinomar Calmona

Data 13/09/2020
Horário 04:40
Nanda Souza fará em outubro a prova para a principal certificação internacional para especialistas em vinho Nanda Souza fará em outubro a prova para a principal certificação internacional para especialistas em vinho Imagem: Nanda Souza fará em outubro a prova para a principal certificação internacional para especialistas em vinho

Fernanda Rodrigues de Souza, 33 anos, é a primeira sommelier de Presidente Prudente e em outubro realizará uma prova para receber a certificação internacional mais importante do mundo do vinho.  “Nanda Souza, como é conhecida profissionalmente atuou por 12 anos em uma grande companhia aérea na qual atendia a classe executiva, primeira classe e passava rotineiramente por treinamentos com sommeliers renomados na parte de serviços e harmonização da carta de vinhos com a culinária dentro das aeronaves. Durante esse período realizou viagens pela Europa, América do Sul, Serra Gaúcha sempre incluindo no roteiro passeio em vinícolas e conteúdo voltado para conhecimento cultural e de viticultura de cada região.

 

Como e quando você chegou ao mundo do vinho?

Durante um dos voos retornando da Argentina (Mendoza) realizei a apresentação de um vinho para um cliente que estava na classe executiva, para sua surpresa. Fiz um atendimento diferenciado sobre a apresentação dos vinhos, então surgiu o convite para trabalhar para a sua importadora que está presente no mercado a mais de 30 anos, e que importa vinhos de 11 países que corresponde a mais de 300 rótulos no portfólio. Uma importadora com muito prestígio e respeito no mercado dos vinhos.

 

Quais foram os passos para se tornar uma sommerlier?

Para a formação é necessário que a pessoa procure uma escola que ofereça curso de sommelier ou um mentor na área que tenha referência e experiência para ensinar sobre essa profissão que exige bastante conhecimento não apenas técnico, mas também da parte de serviços (atendimento).

 

De onde veio o interesse por se profissionalizar nessa área?

O interesse veio depois do primeiro curso que eu recebi na companhia aérea em que além do conhecimento sobre a carta de vinho que era elaborada pelo Arthur Azevedo, atual vice-presidente ABS-SP (Associação Brasileira de Sommeliers), também era exigida experiência sobre o atendimento a bordo. Me despertou então a curiosidade em aprender mais. E, posteriormente, passei a realizar as degustação técnica nas viagens e observar sua coloração, aroma, estilo de vinho, como por exemplo: se o vinho é mais frutado ou mais encorpado e o terroir das regiões. Assim, o que começou com uma curiosidade se tornou uma paixão que virou profissão.

 

Por muito tempo, a profissão do sommelier era vista como bastante masculina. Hoje, em todo o mundo, há sommelières tão ou mais renomadas que seus pares. Você acha que enfrentará alguma barreira?

Atualmente sou a única mulher no oeste paulista a trabalhar com uma representação que contempla 11 países e que fala sobre vinhos às pessoas que querem conhecer. E a única a ter a certificação WSET *Wine & Spirit Education Trust pela Enocultura (que está em andamento com previsão de conclusão para outubro deste ano) que é a maior certificação internacional para especialistas que trabalham com vinhos. Costumo dizer que não fui eu quem comecei a trabalhar com vinhos e sim o vinho quem me acolheu. Fui muito bem recebida pelos profissionais do mundo do vinho, nomes de prestígio que realizam o trabalho com excelência e que são minha inspiração. Além dos empórios, lojas especializadas e supermercados na nossa região que me receberam com muito carinho.

 

Para você o que é um bom vinho?

O mais importante é ter prazer no que estamos bebendo, porém é preciso diferenciar a qualidade e o gosto pessoal e pra que isso seja percebido, nesse quesito, entra a análise técnica visual, olfativa e gustativa de cada rótulo levando em consideração a região e o estilo que o produtor quis trazer para aquele rótulo.

 

Você têm vinhos favoritos? Pode falar sobre alguns deles?

Eu gosto muito dos vinhos que se expressam de maneira elegante, que trazem complexidade, e onde todos os elementos se integram (aromas, taninos, acidez e a sensação que ele deixa na boca ao finalizarmos). E encontro esse casamento perfeito nos vinhos da Vinícola Argentina Rutini Wines, em especial o Rutini Cabernet Sauvignon/Malbec que é um Blend das duas uvas que se destacam na Argentina e que sempre recebe boa pontuação pelos críticos especialistas na área.

 

Qual a importância do vinho na sua vida?

Vinho é minha vida. Vinho é vivo, evolui na garrafa e também em cada taça após ser servido. Além de trazer história seja da família produtora ou da ocasião em que desfrutamos da bebida.

 

Veja também