Natal, tempo de presépio e de solidariedade

Diocese Informa

COLUNA - Diocese Informa

Data 05/12/2021
Horário 06:19

A festa natalina, amplamente aguardada pelos cristãos, nos leva ao presépio para contemplar o menino Jesus, Verbo encarnado, ao lado da Virgem e Mãe Maria e de São José, pai adotivo de Jesus. Ficamos extasiados diante de um fato perplexo: como é possível que Deus tenha tão grande amor por nós e nos mande seu próprio Filho para ser nosso Salvador? E diante deste mistério, adoramos o Senhor Jesus e glorificamos toda a Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. O Verbo encarnado, Jesus Cristo, em gesto extremo de humildade, diz sim à vontade do Pai, que, aliás, era seu alimento (Jo 4,34), torna-se um de nós, exceto no pecado. Era compassivo, paciente, amável, compreensivo e sensível com a dor de todos, cheio de tato para lidar com homens, mulheres e crianças de todas as faixas etárias. Desfrutava de boa saúde, sentia sede, fome e cansaço. Era manso e humilde, vigoroso e corajoso na defesa de suas ideias e convicções. Inteligente, percebia as ciladas e manobras de seus adversários e sabia dar a exata resposta em qualquer situação. Alegrava-se, ficava comovido e chorava. Como cada um de nós, com uma grande diferença: era e é o Filho de Deus. Anunciou a vontade do Pai, foi obediente até a morte, e morte de cruz (Fl 2,8), e ressuscitou, comprovando suas palavras. É o nosso Senhor e Salvador. Viver o Natal exige do cristão duas atitudes: adorar o Verbo encarnado, mas igualmente olhar por aqueles pelos quais Jesus nasceu e morreu na cruz e hoje vivem em situação indigna para um ser humano. A pandemia tem nos mostrado o rosto terrível da miséria que impede as pessoas de comer e ter acesso a elementos essenciais que caracterizam uma vida digna. A fome está visível, está presente em milhões de lares brasileiros. O cristão não tem o direito de ignorar esta dura realidade. Neste Natal, com toda devoção e humildade que requer, adoremos o Menino Jesus. Contudo, é preciso dar um passo a mais: voltar-se para aqueles que sofrem nestes tempos difíceis. Quer ter um feliz Natal, voto tão difundido neste dia de uns para os outros? Encontre o Cristo presente numa pessoa necessitada e a ajude. Será o melhor Natal de sua vida! (Autor: Dom Francisco Carlos Bach, bispo de Joinville (SC). Fonte: www.cnbb.org.br/).

Mini sermão:
2º Domingo do Advento (Lc 3,1-6)

Evangelho não é uma lenda, mas a narração de uma história verdadeira. Saiba que a Igreja não teve início a partir dos homens, mas da Palavra, que é o próprio Cristo. A Palavra de Deus é o sujeito que move a história, inspira os profetas, prepara o caminho do Messias e convoca a Igreja. O próprio Jesus é a Palavra divina que se fez carne no seio virginal de Maria. Portanto a Palavra desceu, a fim de que a terra, que antes era um deserto, produzisse os seus frutos para nós. Endireite seus caminhos: ame! (Autor: Padre Rafael Moreira Campos).

Agenda paroquial: Paróquia Nossa Senhora de Fátima - Presidente Venceslau
Missas:
Sábado às 19h – Igreja Matriz;     
Domingo às 8h Capela Nosso Senhor do Bonfim | 9h30 e 19h – Igreja Matriz

Mensagem do papa:

A liturgia indica-nos os seus conteúdos específicos: é um tempo para reconhecer os vazios a serem preenchidos na nossa vida, para aplainar as asperezas do orgulho e dar espaço a Jesus que vem. O Advento é o tempo favorável para rezar com mais intensidade, para reservar à vida espiritual o lugar importante que lhe compete. Como João Batista, podemos abrir caminhos de esperança no deserto dos corações áridos de tantas pessoas. Onde há orgulho, onde há prepotência, onde há soberba, o Senhor não pode entrar porque aquele coração está cheio de orgulho, de prepotência, de soberba. Por isso, devemos abaixar este orgulho. Devemos assumir atitudes de mansidão e de humildade, sem gritar, ouvir, falar com mansidão para preparar assim a vinda do nosso Salvador, Ele que é manso e humilde de coração (cf. Mt 11, 29). Depois é-nos pedido para eliminar todos os obstáculos que levantamos contra a nossa união com o Senhor. Mas estas ações devem ser realizadas com alegria, porque se destinam à preparação da chegada de Jesus. Quando esperamos em casa a visita de uma pessoa querida, predispomos tudo com esmero e felicidade. Ao mesmo tempo, queremos predispor-nos para a vinda do Senhor: esperar todos os dias com solicitude, para sermos colmados com a sua graça quando ele vier. O Salvador que aguardamos é capaz de transformar a nossa vida com a sua graça, com a força do Espírito Santo, com a força do amor. (Fonte: www.vatican.va/content/francesco/pt/angelus/2017)

Padre Rafael Moreira Campos
Adm. Paroquial Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Pres. Venceslau/SP
"Ouse ser o melhor. Ame!"
Instagram @padrerafaelmoreira
Facebook www.facebook.com/rafaelmoreiracampos
Informações: Cúria Diocesana (18) 3918-5000
 

Veja também