Ofertar amor nunca é demais...

EDITORIAL -

Data 13/02/2021
Horário 04:15

Peças de roupas, cobertores, mantimentos, móveis ou até mesmo dinheiro. Sempre existe algo dentro do alcance que pode ser ofertado a alguém mais necessitado. E, assim, com atos de solidariedade, vidas são transformadas, dificuldades sanadas e pitadas de esperanças implantadas em uma sociedade marcada pela desigualdade social. A busca por fazer a diferença move entidades de Presidente Prudente, seus funcionários e voluntários, para que melhor qualidade de vida seja garantida aos assistidos. Mas, não só dentro de entidades é preciso este sentimento. Você, nós podemos fazer ações solidárias em qualquer lugar a qualquer momento. Basta querer!
Uma das ações, que ganhou destaque neste impresso há alguns dias, veio da Mara Soares. Ela estendeu um varal com peças masculinas e femininas para que os necessitados que precisam e por ali passam diariamente peguem o que precisar. Para este diário, Mara comentou que é de fundamental importância que pessoas em situação de vulnerabilidade recebam ajuda dos que têm melhores condições. Ninguém precisa dar dinheiro, mas não custa oferecer um cafezinho de manhã, uma água quando a pessoa pede num dia de calor intenso.
Mara diz que sempre gostou de ser voluntária e que vê hoje que o voluntariado em muitos lugares não é bem o que parece se não mais para favorecer algumas partes. E, ajudar é sempre melhor do que ser ajudado. A recompensa vem de alguma forma. Ofertar amor nunca é demais.
Prudente e região têm um povo acolhedor, envolvido nas causas sociais. A cada pedido de auxílio pela imprensa ou mesmo por redes sociais, inúmeras são as mobilizações para que aquela dificuldade pontual seja sanada. Outro exemplo é o caso da bebê Valentina. Inúmeras são as ações em prol da bebê que luta contra uma doença que precisa de um medicamento de R$ 12 milhões. Isso mesmo... milhões.
Que trabalhos como estes sejam inspiração para que outras pessoas saiam da inércia e procurem formas de auxiliar o próximo. Além do varal e da Valentina, entidades, hospitais e projetos sociais estão à espera de ajuda, voluntariado, doações. Seja o pontapé de uma nova cadeia de solidariedade.

Veja também