Oposto Teatro Laboratório circula com espetáculos pela região 

Apresentações, destinadas a públicos de todas as idades, são gratuitas e iniciam hoje em Adamantina; Osvaldo Cruz e PP também são contempladas

VARIEDADES - DA REDAÇÃO

Data 08/01/2022
Horário 07:04
Foto: Divulgação
“Estrelas”, solo premiado, inclusive internacionalmente, com a atriz prudentina Marylin Nunes
“Estrelas”, solo premiado, inclusive internacionalmente, com a atriz prudentina Marylin Nunes

O grupo Oposto Teatro Laboratório, de Presidente Prudente, que desenvolveu e mantêm seu repertório em dez anos, desde sua fundação, circulará com o projeto que leva o próprio nome, no município e por várias cidades da região, com seus cinco espetáculos. Todas as apresentações são destinadas a públicos de todas as faixas etárias. E o melhor, gratuitamente. A primeira cidade contemplada será Adamantina, recebendo às 20h de hoje, no Anfiteatro Municipal Fernando Paloni, “Estrelas”, cuja estreia deu-se em 2013. A concepção do projeto é de Marylin Nunes.
Amanhã, a mesma peça será mostrada às 19h, em Osvaldo Cruz, no Centro Cultural Professora Doutora Maria Conceição de Arruda Villaça. Já na segunda-feira, às 11h, o Teatro de Arena da Praça Nove de Julho, no Calçadão de Presidente Prudente, recebe a intervenção com "Dona Cabra". Estas são as três apresentações e cidades confirmadas. Outras datas ainda não foram definidas.
“Este projeto pretende colaborar com o fomento da cultura em Prudente e região através da circulação e temporada de espetáculos. Nossa expectativa é conseguir habitar novamente os espaços e avivar de novo o teatro por onde passarmos, voltando a trazer o teatro para perto das pessoas nesse pós-pandemia e dos artistas também, depois de tanto tempo longe desse tipo de cultura”, destaca Diego Villas Boas, produtor do grupo.
Pela sinopse de “Estrelas” já dá para fechar os olhos e se ambientar no espetáculo, por meio da imaginação. Detrás do som da máquina de escrever surge uma escritora. À beira da morte ela trabalha em sua última novela, que tem como protagonista Macabéa, uma jovem datilógrafa do subúrbio. E, através dela, surgem os personagens: Olímpico, um metalúrgico com quem namora, Glória, sua colega de trabalho, que acaba por roubar-lhe o namorado, e Madame Carlota, uma cartomante que visita. 
Na trama, a escritora traz questões inerentes à vida: o primeiro amor, os sonhos que projetamos, as decepções que vivemos, a busca por quem se é e o inevitável confronto com a morte.

A magia do teatro e facetas da atriz

O espetáculo foi a primeira coprodução entre o Oposto Teatro Laboratório e o Odin Teatret, um dos mais importantes grupos do teatro ocidental, tendo sua estreia em janeiro de 2013, na Dinamarca, e depois, no Brasil, esteve em importantes festivais. O espetáculo inspira-se na obra de Clarice Lispector, “A Hora da Estrela”, mas ganha um formato poético pela interpretação da atriz, que correlaciona sua própria experiência de vida, como uma mulher brasileira. 
Julia Varley, a diretora que trabalha com uma linguagem teatral pautada na presença cênica, explora as diferentes possibilidades da atriz, Marilyn Nunes, se desdobra em vários personagens, fazendo-os dialogar, ainda que se trate de um espetáculo solo. 

Principais encenações

Temporada no Sesc Consolação (dois meses) e na Casa Laboratório para arte do teatro (cinco semanas); Fentepp (Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente); Festival de Dança de Londrina (PR); Festival Internacional de Teatro de Kolkata, Índia; Festival Under de Sal Tree, Assam, Índia; Fringe, em Curitiba (PR) (Casa Cultural Sesi); Mostra Artística da Jornada de Pesquisa em Artes; “Nattya Utsav” Internacional Theatre Festival, Índia; Mostra de Dança e Teatro Só Solos, no Espaço Cênico O lugar, Circuito Girarte, em Prudente; Festival Ritwik de Teatro, Índia; Festival Under de Sal Tree, em Assam, Índia; Mostra Walmor Chagas deTeatro, em São José dos Campos (SP); temporada no Teatro de Arena, Mostra de Teatro de Presidente Prudente; Encontro Ator Criador, em Goiânia (GO); Festival Multicidades, no Rio de Janeiro (RJ); Festival de Matão (SP); Festival de Dança de Londrina (PR); Festival Extirpe, em Suzano (SP); Festival Encontros Possíveis, em Cuiabá (MT); apresentação na Universidade de Morelos, em Cuernavaca, México. 

PRÊMIAÇÃO
•    2018 - Prêmio de Participação Especial. Categoria: Internacional: Festival Internacional de Teatro de Behala Sarat Sadam, em Calcutá, Índia, Behala Sarat Sadam
•    2017 - Prêmio de Participação Especial. Categoria: Internacional: Festival Rang Yatra e Governo de Gobarganda
•    2017- Prêmio de Circulação GiraArte
•    2016 - Prêmio Cena Aberta: Ocupação do Teatro Eugenio Kusnet, Funarte2015
•    2016 - Prêmio de Participação especial. Categoria: Internacional: Festival Internacional de Teatro,Underthe Sal Tree Festival e governo de Assam, Índia
•    2015 - Prêmio: Intercâmbio Cultural nov/2015, Funarte
•    2015 - Prêmio Myriam Muniz 2015 - montagem teatral - sudeste, Funarte
•    2014 - Prêmio Conexão Cultura Brasil Intercâmbio novembro/2014, Ministério da Cultura
•    2014 Reconocimiento - governo do Estado de Morelos - México, através da Secretaria de Cultura 2013 Prêmio: Intercambio e Difusão Cultural agosto/2012, Ministério da Cultura.

Ficha técnica:
Atriz criadora: Marilyn Nunes 
Texto, cenário e figurino: Oposto Teatro Laboratório
Direção: Julia Varley
Desenho de luz: Marco Adda
Montagem sonora: Jan Ferslev



 

Veja também