Orgulho dessa gente prudentina

OPINIÃO - Renato Mungo

Data 14/09/2021
Horário 05:00

Louvores a Marcondes e a Goulart. 14 de setembro não é um dia comum em Presidente Prudente. Afinal, nossa querida e calorosa cidade está completando 104 anos de muita história e desenvolvimento. 
Conhecida como a capital do oeste paulista, Prudente tem uma privilegiada localização geográfica, sendo passagem para o Paraná e Mato Grosso, conferindo-lhe o direito de ser centro fornecedor e receptor de mercadorias, produtos e serviços. Referência para mais de 50 municípios, hoje acolhe mais de 230 mil habitantes dentre os 929.137 moradores da região, segundo dados recentes do IBGE.
Os trilhos da Estrada de Ferro Sorocabana chegaram em 1909, antes mesmo da fundação da cidade, o que demonstra que sua relevância para o desenvolvimento local, tornando-se, posteriormente, uma importante forma de penetração e uma via de escoamento da produção cafeeira, e multiplicaram os núcleos urbanos. Hoje, lastimavelmente, segue abandonada e sucateada por uma má gestão de sua concessionária. 
A partir de 1919, em virtude das terras férteis do sudoeste paulista e a vasta plantação de café, migrantes foram atraídos de Minas Gerais e outras cidades do Estado de São Paulo para mão de obra, povoando a cidade em poucas décadas. 
Com a crise cafeeira, o plantio de algodão a partir de 1929 trouxe indústrias de beneficiamento nacionais, em conjunto com o plantio de arroz, feijão, batata e milho, estes em meados de 1935, o que favoreceu a criação de novos estabelecimentos comerciais; seguindo, após, a menta, o amendoim, extração de madeira, pecuária de corte e demais atividades agrícolas com a chegada de frigoríficos por volta de 1960.  
A implantação do Distrito Industrial marcou a cidade como condição de principal centro regional. Hoje, da batata-doce à pecuária, do agronegócio ao comércio, Prudente também é referência na prestação de serviços, com vasto polo de ensino superior, atraindo alunos de diversas localidades do país, além de grandes hospitais, que zelam grande parte da região. 
No estudo das melhores cidades para se viver no país (2010), Prudente integra o seleto grupo dos municípios com grau de desenvolvimento considerado “muito alto” no IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal), divulgado pelo Pnud, em parceria com o Ipea e a Fundação João Pinheiro, ficando na 25ª colocação, com nota final de 0,806. O mesmo estudo revela a que média educacional do Brasil é de 0,759; enquanto Prudente 0,774, e IDH renda média Brasil 0,759, sendo nossa cidade 0,788.  Ainda assim, temos muito espaço para o necessário avanço.
Seja prudentino de berço ou de coração, você é protagonista desta história. Prudente é o nosso lar e, por isso, a UEPP acredita que somente através da participação ativa da população, conseguiremos fomentar mais desenvolvimentos e novas oportunidades. E fica uma reflexão: quais são as metas para daqui cinco, dez, 20 ou 30 anos? Qual legado deixaremos para as próximas gerações?
 

Veja também