Parceria facilita bloqueio de celulares roubados

Vítimas podem solicitar o serviço diretamente nas delegacias; convênio possibilita polícia a ter acesso a sistema especial

PRUDENTE - VICTOR RODRIGUES

Data 30/03/2017
Horário 12:56


O governo do Estado de São Paulo firmou uma parceria com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) que facilita o processo de bloqueio de celulares roubados e furtados. As vítimas podem solicitar o bloqueio diretamente nas delegacias. De acordo com o Deinter-8 (Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior), que administra a Polícia Civil em toda a região de Presidente Prudente, trata-se de um convênio entre a SSP (Secretaria de Segurança Pública) e a Anatel, o qual permite que a polícia tenha acesso a um sistema especial e realize o bloqueio, sem a necessidade de solicitar às operadoras.

O sistema se chama Cemi (Cadastro de Estações Móveis Impedidas) e é administrado pela ABR Telecom (Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações). A nova medida valerá em meados de abril, sem data definida, por enquanto.

Segundo a Seção de Comunicação Social do Deinter, antes, logo que era registrada a ocorrência, a polícia colhia a autorização da vítima ou seu representante legal para o bloqueio e comunicava o Dipol (Departamento de Inteligência da Polícia Civil), que requisitava o bloqueio do aparelho com a operadora de telefonia móvel. A operadora tinha o prazo de até 12 horas para a sua efetivação.

Quando os aparelhos são localizados, eles são submetidos aos exames periciais, reconhecimento, avaliação e depois entregues às vítimas, com o desbloqueio. De acordo com o balanço geral, em 2016 foram registrados 1.249 furtos de celular, 36,4% a mais que no ano anterior; e 15 roubos, uma queda de 72,7% com relação a 2015, quando foram roubados 55 celulares na área de atuação do Deinter-8. Neste ano foram 195 furtos e quatro roubos. Somente em Prudente, foram 622 furtos no ano passado, e dois roubos. Neste ano, 98 furtos e nenhum roubo.

Segundo dados do 18º BPM/I (Batalhão de Polícia Militar do Interior), furtos e roubos de aparelhos celulares são comuns em todas as regiões do Estado, seja por descuido ou falta de atenção do proprietário, ou crime cometido com o uso de violência e grave ameaça. A PM também tem um acesso para consultar as restrições de roubo ou furto de aparelhos celulares pelo número de Imei (Identificação Internacional de Equipamento Móvel) nos TMDs (Terminais Móveis de Dados), os tablets instalados nas viaturas policiais.

Durante a atividade operacional, os policiais deparam-se com situações em que aparelhos celulares são encontrados em posse de pessoas submetidas a abordagens, e elas não conseguem provar a propriedade do aparelho, e não há como consultar facilmente se o equipamento tem ou não restrições de furto ou roubo. "Esta consulta verifica se o número de Imei do aparelho consta em algum boletim de ocorrência em situação de restrição, ou seja, nos casos em que as vítimas dos furtos ou roubos registram o ocorrido informando o Imei do aparelho", explica.

Fato semelhante ocorreu recentemente, no dia data de 22, em Prudente, quando uma unidade de serviço da Força Tática realizou a abordagem em um grupo de pessoas e, ao consultar os Imeis, constatou que um dos aparelhos havia sido roubado em 17 de março. A vítima foi localizada e compareceu à delegacia, onde reconheceu o autor do roubo.

 

Dicas

Todos os celulares com chip têm um registro de série único, que é o Imei, como se fosse um número patrimonial do aparelho. Para obtê-lo, digite: *#06#, e não pressione "send". Na tela aparecerá o código. A PM orienta as pessoas a anotarem e guardarem o dado em local seguro, pois o número será necessário para realizar o bloqueio do aparelho em caso de furto ou roubo.

Veja também