Paulo de Souza Barros, diretor da Revista Chic, morre de Covid-19 aos 72 anos

Prudentino estava internado no Hospital Nossa Senhora das Graças; esposa e sobrinho lamentam perda

PRUDENTE - MARCO VINICIUS ROPELLI

Data 08/09/2020
Horário 12:57
Reprodução/Facebook - Paulo ao lado da esposa, Jussara, que faz aniversário hoje
Reprodução/Facebook - Paulo ao lado da esposa, Jussara, que faz aniversário hoje

Faleceu na manhã de hoje, no Hospital Nossa Senhora das Graças, em Presidente Prudente, o diretor proprietário da Revista Chic, Paulo Norberto de Souza Barros, aos 72 anos, vitimado por complicações decorrentes da Covid-19. Seu sobrinho, Lucas França Bressanin, 30 anos, em homenagem à sua memória, faz questão de destacar duas qualidades de Paulo: a inteligência visionária para os negócios e a preocupação que mantinha por familiares e amigos.

Um homem que deixa seu legado. É desta forma que pode ser encarada a partida de Paulo de Souza Barros. Entre as contribuições, a Revista Chic, que, segundo seu sobrinho, surgiu de uma ideia por anos engavetada, mas que estava à frente de seu tempo. 

O outro legado é a família, que sempre fez questão de zelar. “Apesar da timidez, e até certa reclusão, meu tio tinha um coração enorme, era uma pessoa especial. Não tenho dúvidas que ele cumpriu o seu papel”, relata Lucas.

Sobre sua qualidade de zeloso incansável, Lucas afirma que, desde o início da pandemia, Paulo fora extremamente cuidadoso para com o vírus, tendo permanecido em casa o tempo todo, fazendo uso de máscara, álcool em gel e distanciamento social. Mesmo assim, Paulo não pôde evitar a contaminação pelo vírus. “Ele era uma pessoa muito preocupada com o próximo, com a sociedade. Se ele tivesse a oportunidade de dizer algo, acho que ele sugeriria que as pessoas tomem os devidos cuidados contra a doença”, enfatiza Lucas.

Esposa lamenta

Em suas redes sociais, a esposa e sócia da Revista Chic, Jussara Bressanin, lamentou o falecimento do marido, que, coincidentemente, ocorreu na data do aniversário dela. Ela escreveu:

“Hoje que era para ser um dia muito feliz, eu venho falar que é o dia mais triste da minha vida... O meu grande amor, o único, meu companheiro, minha cara metade, me deixou. Com seu jeito quieto, a melhor pessoa que pude conhecer e ter o privilégio de ter vivido tantos anos juntos. Assim, ele escreveu uma grande história, com seu jeito e um coração que eu desconhecia de tão bom”.

Lucas afirma que o tio, com mais de 40 anos de casado, tinha uma "fonte inesgotável de amor" por Jussara e por todos os sobrinhos que tratou como se fossem os próprios filhos.

Veja também