Pessoas de 45 a 49 anos com comorbidades e deficiências serão vacinadas a partir de amanhã

Já no dia 28, imunização contra a Covid-19 será estendida à faixa etária dos 40 a 44 anos, também dentro deste grupo

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 20/05/2021
Horário 16:54
Foto: Governo estadual
SP concluirá em junho a vacinação de todas as pessoas com deficiências e comorbidades
SP concluirá em junho a vacinação de todas as pessoas com deficiências e comorbidades

O governo do Estado de São Paulo amplia a vacinação contra a Covid-19 para pessoas com comorbidades e deficiências permanentes com idade entre 45 e 49 anos a partir desta sexta. Já no dia 28, a imunização será estendida à faixa etária dos 40 a 44 anos, também dentro do grupo das comorbidades e deficiências.

O governador João Doria (PSDB) anunciou também que o Estado de São Paulo concluirá em junho a vacinação de todas as pessoas com deficiências e comorbidades. Para julho, deve ser iniciada a imunização das pessoas de 55 a 59 anos e dos profissionais da educação de 18 a 46 anos para a retomada das atividades presenciais em sala de aula no segundo semestre.

“Em junho, o governo de São Paulo vai vacinar plenamente todas as pessoas com comorbidade e deficiência no Estado de São Paulo”, reforçou Doria. Para julho, a efetividade desse cronograma dependerá do envio de quantitativos de vacina pelo Ministério da Saúde para o prosseguimento do PEI [Plano Estadual de Imunização]".

No ato do comparecimento, a pessoa com comorbidades que faz parte das faixas etárias já anunciadas deve apresentar comprovante da condição de risco por meio de exames, receitas, relatório ou prescrição médica. Os cadastros previamente existentes em UBSs (Unidades Básicas de Saúde) também podem ser utilizados.

Já as pessoas com deficiência permanente precisam apresentar o comprovante do recebimento do BPC (Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social).

Relação de comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde

• Doenças Cardiovasculares;
• Insuficiência cardíaca;
• Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar;
• Cardiopatia hipertensiva;
• Síndromes coronarianas;
• Valvopatias;
• Miocardiopatias e Pericardiopatias;
• Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas;
• Arritmias cardíacas;
• Cardiopatias congênitas no adulto;
• Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados;
• Diabetes mellitus;
• Pneumopatias crônicas graves;
• Hipertensão arterial resistente;
• Hipertensão arterial – estágio 3;
• Hipertensão arterial – estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidades;
• Doença Cerebrovascular;
• Doença renal crônica;
• Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer);
• Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves);
• Obesidade mórbida;
• Cirrose hepática.

Veja também