Pix: praticidade e rapidez agradam pequenos empreendedores e clientes

Forma de pagamento é uma alternativa oferecida por empresários, que a enxerga de forma positiva 

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 22/08/2021
Horário 04:05
Pix foi lançado no final do ano passado pelo BC

A forma de pagamento por Pix foi lançada no final do ano passado pelo BC (Banco Central). O meio possibilita que os recursos sejam transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia. Desde o seu lançamento, a forma de pagamento tem se popularizado e ganhado cada vez mais adeptos. Em Presidente Prudente, nas pequenas empresas, a alternativa é buscada pelos clientes, o que favorece os empreendedores que veem diretamente o dinheiro cair na conta.
A empresária Samara Barcello Ibrahim Kalil afirma que o imediatismo e a praticidade foram os fatores que contribuíram para que ofertasse esta forma de pagamento aos clientes. “É uma via de mão dupla, porque tanto as minhas clientes na loja usam, e eu também na hora de fazer compra com meus fornecedores em São Paulo. É muito complicado ficar usando cartão, andando com dinheiro”, explica. Na Samara Kalil Fashion & Co., por exemplo, a empresária colocou um quadro com o código para pagamento.
“A procura tem sido muito frequente. A cliente faz a compra e já pergunta: ‘qual é a chave Pix?’. Nós cadastramos o celular da loja como chave, e tem também o QR Code”, lembra. Ainda conforme Samara, a alternativa não cobra taxas, como da máquina de cartão. Assim como ela, o barbeiro Ayslan Willian Lima de Almeida, do Ayslan Barber, também enxerga a não cobrança de taxa como algo positivo. “Considero uma modalidade de pagamento mais segura, facilita na hora do troco e é mais higiênica”, explica, ao levar em conta o período de pandemia. 
O empresário disponibilizou o uso do Pix como forma de pagamento há aproximadamente cinco meses, e acredita que esta é uma modalidade que deve permanecer. “É muito positivo, os clientes têm buscado essa opção por oferecer facilidade. Pelo menos uma pessoa por dia faz o pagamento por Pix na barbearia”, afirma. 

Na palma da mão

José Carlos Cavalcante, gerente regional do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) em Prudente, expõe que a modalidade traz “bastante praticidade”, em função da facilidade de acesso, e economia aos pequenos negócios. “Praticamente não tem taxas, é rápido e isso faz com que o dono do pequeno negócio tenha um fluxo de caixa constante. Não tem aquela burocracia de um cartão de crédito e a taxa cobrada das operações. Pelo que temos acompanhado é um meio de pagamento que tem crescido muito, e a tendência é crescer ainda mais”, explica. 
Apesar da facilidade, é importante ficar atento no momento de realizar a transferência. Conforme o gerente regional, é preciso observar os códigos e números para que o dinheiro não caia na conta errada. “Muitos controles de gestão de empresa estão no mobile, praticamente, na palma da mão. Através do celular, tem condições de efetuar operações à distância e com muita segurança e agilidade. A presença digital vem crescendo de uma forma bastante acelerada, e com a pandemia, foi ainda mais rápido. Nessa área, houve um avanço de cinco, 10 anos. Muitas coisas que demorariam, na prática já estão acontecendo”, salienta.

Com quem é possível fazer um Pix?

O Pix pode ser realizado a partir de uma conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento pré-paga. Ele pode ser utilizado para:
- transferências entre pessoas;
- pagamento em estabelecimentos comerciais, incluindo lojas físicas e comércio eletrônico;
- pagamento de prestadores de serviços;
- pagamento entre empresas, como pagamentos de fornecedores, por exemplo;
- recolhimento de receitas de órgãos públicos federais, como taxas (custas judiciais, emissão de passaporte, etc.), aluguéis de imóveis públicos, serviços administrativos e educacionais, multas, entre outros (esses recolhimentos poderão ser feitos por meio do PagTesouro);
- pagamento de cobranças; 
- pagamento de faturas de serviços públicos, como energia elétrica, telecomunicações (telefone celular, internet, TV a cabo, telefone fixo) e abastecimento de água; e
- recolhimento de contribuições do FGTS e da Contribuição Social (a partir de 2021).
Fonte: Banco Central

SAIBA MAIS
Conforme o Banco Central, não há limite mínimo para pagamentos ou transferências via Pix. Isso quer dizer que você pode fazer transações a partir de R$ 0,01. Em geral, também não há limite máximo de valores. Entretanto, as instituições que ofertam o Pix poderão estabelecer limites máximos de valor baseados em critérios de mitigação de riscos de fraude e de critérios de prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo. Os usuários podem solicitar ajustes nos limites estabelecidos, devendo a instituição acatar imediatamente a solicitação caso o pedido seja para redução de valor.

Fotos: Cedidas

PIX faz sucesso nos pequenos negócios em presidente prudente
Ayslan acredita que modalidade deve permanecer

PIX faz sucesso nos pequenos negócios em presidente prudente
Quadro em loja traz QR Code para os clientes

PIX faz sucesso nos pequenos negócios em presidente prudente
Samara é empresária e adepta à forma de pagamento

Veja também