Polícia investiga morte suspeita em Prudente

Homem foi encontrado morto no Parque Higienópolis; situação foi gerada após desentendimento durante construção de uma casa

PRUDENTE - THIAGO MORELLO

Data 18/06/2020
Horário 19:02

Uma ocorrência registrada como morte suspeita, na manhã de hoje, virou caso de investigação em Presidente Prudente. Segundo as informações da Polícia Civil, um homem de 46 anos foi localizado morto, no Parque Higienópolis, por volta das 9h. A situação teria ocorrido após desentendimento durante a construção de uma casa.

No boletim de ocorrência, o policiamento narra o ocorrido entre um construtor e o contratante da obra, esse, por sua vez, também o óbito. No documento policial, o contratado conta à polícia que desde o início do mês de junho, ambos vinham se desentendendo por conta da obra, que chegou a ser paralisada antes por “problemas financeiros”. Ainda de acordo com ele, o dono demonstrava “problemas psicológicos” e chegou a comentar que faria “uma besteira”.

A situação, conforme o depoimento, teria sido gerada pela pandemia. Contudo, o construtor disse ainda que a obra voltou à ativa um mês depois, e que entre negociações e conversas, ambos decidiram por continuar, mas que o proprietário não tinha mais interesse no local e que gostaria de vender o imóvel. Desta forma, ele se dispôs a auxiliar na venda e até arrumou um comprador.

Hoje, quando o local estava sendo apresentado ao possível comprador, foi quando a situação ocorreu. Segundo o construtor, em meio à apresentação do espaço, o contratante o chamou de canto, no banheiro, para esclarecer dúvidas. Sem motivo algum, ele “desferiu três socos na minha barriga e um no rosto. Em seguida, percebi que ele se abaixou e tentou pegar algo que estava preso à perna. Como acreditei que ele iria pegar uma arma, o empurrei e saí correndo para a rua”, conta.

Conforme o policiamento, no boletim de ocorrência, o construtor correu para outras obras pedindo ajuda e se escondeu em uma delas. Minutos depois, o mestre da obra teria o avisado que o contratante tinha se matado, aplicando golpes de faca no próprio corpo. Ainda de acordo com a polícia, outras duas testemunhas, que constam no documento policial, confirmam a versão de suicídio.

“Do apurado, verificou-se, em tese, tratar-se de suicídio. Entretanto, registram-se os fatos para melhor apuração, pois necessita-se da conclusão dos laudos periciais”, finaliza a polícia. Foi solicitado exame necroscópico e foi acionado o IC (Instituto de Criminalística) no local.

 

 

Veja também