Polícia prende acusado por morte em confraternização no Humberto Salvador

Investigado relatou que desentendimento foi motivado por um suposto desacordo na quantidade de cervejas comprada

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 06/08/2021
Horário 12:09
Foto: Polícia Civil
Autor se apresentou na delegacia especializada na presença do advogado
Autor se apresentou na delegacia especializada na presença do advogado

A Polícia Civil prendeu hoje um homem de 47 anos acusado de homicídio durante uma confraternização na madrugada de domingo, no Jardim Humberto Salvador, em Presidente Prudente. De acordo com o investigado, o desentendimento foi motivado por acusação de um suposto desacordo na quantidade de cervejas compradas. 

Segundo o delegado Claudinei Alves, da 3ª Delegacia de Homicídios da Deic-8 (Divisão Especializada de Investigações Criminais), o indivíduo estava sendo procurado desde o dia do crime, mas não havia sido localizado. “Após fugir acabou sendo apresentado pelo advogado, logo demos cumprimento ao mandado de prisão”, afirma o delegado. 

Conforme noticiado na segunda-feira, o homem de 36 anos foi morto durante confraternização em uma residência, onde  autor e vítima eram convidados. O fato ocorreu por volta das 3h40, na Rua Elias Marcos da Silva.

Segundo o boletim de ocorrência, o dono da casa relatou que convidou alguns conhecidos para o encontro, entre eles, o autor e a vítima, que chegaram em um carro, juntamente com uma das testemunhas. 

Em determinado momento, houve um desentendimento entre a vítima e o autor. Segundo as testemunhas, a briga ocorreu na varanda e, na sequência, seguiu para a frente do imóvel. Em depoimento à Polícia Civil, o investigado relatou que a briga ocorreu porque a vítima o acusou de não ter contribuído com a parte na quantidade de cervejas compradas por cada um.. 

Ainda conforme o depoimento, a vítima supostamente pegou uma faca, mas acabou sendo desarmada. Depois, acabou atingida por uma facada no peito. Conforme a polícia, trata-se de uma faca não serrilhada, de cabo plástico, com 15 cm de lâmina aproximadamente. No entanto, a arma não foi localizada. 

A prisão temporária do suspeito é válida por 30 dias. Ele aguardará o decorrer da investigação na Cadeia Pública de Presidente Venceslau.

Veja também