Polícias e Prefeitura promovem ação conjunta

PRUDENTE - MELLINA DOMINATO

Data 06/01/2017
Horário 07:17



O 18º BPM/I (Batalhão de Polícia Militar do Interior), em parceria com a Polícia Civil e a SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social) de Presidente Prudente, realizou, no fim da tarde de ontem, uma operação com vistas à abordagem de moradores de rua e outros indivíduos que se envolvem entre estes para cometer crimes. Segundo o 1º-tenente da 5ª Companhia da PM, Fernando Pedroso de Moraes, a ação parte de denúncias e pedidos de policiamento recebidos pela unidade, que, com apoio da administração municipal, promove a qualificação e o recadastramento das pessoas abordadas, caso haja necessidade. Um balanço da ação deve ser divulgado hoje.

Jornal O Imparcial Indivíduos foram abordados e passaram por qualificação da PM

Conforme o tenente Pedroso, na operação de ontem, a PM teve a participação da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas), Cavalaria, Força Tática e Radiopatrulhamento. Diversas equipes se dirigiram à linha férrea, sob o Pontilhão da Vila Marcondes, onde se depararam com diversos indivíduos, os quais foram abordados. Os suspeitos passaram por qualificação e, caso fosse constatada alguma pendência judicial ou criminal, seriam conduzidos à Delegacia Participativa para as providências cabíveis. Já os moradores de rua foram entrevistados e recadastrados por agentes da SAS.

"Este tipo de trabalho, em parceria, é importante, pois conseguimos identificar quais moradores ainda estão nas ruas e quais são suas reais necessidades. Hoje, o Creas População de Rua tem mais de 100 moradores de rua cadastrados na cidade", explica a titular da SAS, Luzia Fabiana Sales Macedo. Relata que, em caso de necessidade, os indivíduos atendidos pela pasta podem ser encaminhados para o serviço de acolhimento, para atendimento específico ou ainda ser auxiliado no retorno para casa, quando o caso envolve pessoas de fora do município.

Para a PM, o desenvolvimento de operações do tipo também é importante. "Com o surgimento de novas pessoas dentro desta população, surge a necessidade de novas ações. Isso também para identificar indivíduos que possivelmente se passam por moradores de rua para então cometer crimes", destaca o tenente.

 

 

Veja também