Precisamos de mais consciência sobre a população negra

EDITORIAL -

Data 22/11/2020
Horário 05:00

Justamente no Dia da Consciência Negra, lembrado em 20 de novembro, o país se viu diante da repercussão de um crime bárbaro: na véspera da data, um homem negro foi espancado até a morte por seguranças de um supermercado de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O crime gerou revolta em todo o Brasil e reacendeu o debate sobre o valor da vida humana, principalmente a da população negra, que é vítima do racismo diariamente e teme morrer em decorrência dele.

O caso em questão tem um agravante: a ação violenta dos seguranças ocorreu no estacionamento do supermercado, tendo sido registrada por câmeras, o que revela que, se uma pessoa negra pode apanhar e morrer num lugar onde supostamente devia haver segurança, a violência contra esta população e o assassinato dela estão suscetíveis a ocorrer em todos os lugares, independentemente da presença de olhos ou não. Em suma, o racismo pode mostrar suas garras nos diversos espaços que o negro frequentar.

Uma data que foi instituída com o objetivo de promover a reflexão sobre a posição da população negra na sociedade atual precisou de um exemplo real para que as discussões fossem desencadeadas. Um homem teve que ser vítima da ação truculenta de seguranças para que fosse posto em debate como a desigualdade racial permanece matando pessoas neste país.

Embora a situação do negro do século XXI seja um pouco melhor do que a de seus antepassados, a população de hoje ainda lida com as sequelas do período de escravização dos seus ancestrais. Em 2020, não basta para o negro receber o mesmo salário que uma pessoa branca e ter o mesmo acesso aos espaços públicos e privados, ele precisa de algo ainda mais premente: a oportunidade de permanecer vivo; de ter a sua vida respeitada e de poder ir a um supermercado sem ser visto com desconfiança e suspeita. Que o Dia da Consciência lamentável que vivemos neste ano não interrompa as discussões sobre a necessidade do respeito à vida humana, de jamais minimizar o racismo no Brasil e de sempre combatê-lo para que ninguém mais precise morrer em consequência dele.

Veja também