Prefeitura inicia reforma no Parque do Povo

Ainda segundo ele, neste início de trabalho, cerca de 15 operários trabalham na obra.

 

Iniciaram nesta segunda-feira as obras de modernização do Parque do Povo de Presidente Prudente. Desta forma, toda infraestrutura do passeio e iluminação será reformulada. A previsão é que até fevereiro de 2015 toda a extensão do parque esteja pronta. De acordo com a Secom (Secretaria Municipal de Comunicação), a empresa vencedora da licitação atua na remoção das calçadas no trecho que fica entre a avenida Brasil e a rua Doutor José Foz. A pasta afirma que, ao menos por enquanto, não haverá necessidade de interdição de pistas.  Já o MPE (Ministério Público o Estado) aguarda o projeto detalhado da reforma para verificar se as ações previstas não violarão aspectos urbanísticos ou ambientais do local.

Jornal O Imparcial Obras começaram, ontem, com remoção das calçadas nas proximidades da avenida Brasil

Segundo o engenheiro da construtora responsável, Eduardo Ramos Sales, 40, a reforma será feita por trechos para que o transtorno seja menor e não prejudique os usuários do espaço. "A intenção é demolir e já construir as novas calçadas. Essa é a parte mais traumática, mas faremos de modo a permitir que, mesmo em obras, os munícipes possam continuar usando o local", declarou, por meio da Secom. Ainda segundo ele, neste início de trabalho, cerca de 15 operários trabalham na obra.

Vale citar que as reformas ainda incluem "substituição de todo calçamento de acordo com as normas de acessibilidade, incluindo piso tátil, melhorias no paisagismo e urbanismo, recolocação de bancos, instalação de bebedouros, sinalização, dentre outras". "Vale lembrar que a ordem de serviços para o início das obras, orçadas em R$ 3 milhões, foi assinada na semana passada e um estudo analisou a melhor maneira de executar a empreitada para evitar grandes transtornos à população", acrescenta.


MPE


Da mesma forma com que procedeu em relação às reformas no prédio do IBC (Instituto Brasileiro do Café), o MPE instaurou um inquérito para se certificar de que as ações no Parque do Povo não implicarão em irregularidades no que tange à questão urbanística ou ainda que afetem o meio ambiente. Para tanto, pediu que a prefeitura apresente até 25 de agosto um projeto que permita ao seu setor técnico realizar análises. "Em um primeiro momento, o projeto apresentado pelo município não nos deu subsídios para avaliar estes aspectos", comenta André Luis Felício, promotor de Justiça. Segundo ele, esta é uma medida preventiva. "Queremos evitar uma possível judicialização da questão", completa.

Felício explica que mesmo antes de apresentar o projeto, nada impede o município de dar andamento às obras, visto que o MPE não fez recomendações ou impugnações. "Se necessário, tomaremos providências posteriores para que sejam desfeitas ações que, porventura, estejam irregulares", coloca.

A Secom diz que apresentará o projeto ao órgão ministerial, mas adianta que, ao ser elaborado, este passa por análises técnicas na prefeitura e, por esta razão, acredita que não haverá contratempos. "Vamos, inclusive, melhorar o aspecto urbanístico", aponta.

 

Usuários


Alguns usuários do parque também consideram que a reforma vá melhorar, principalmente, a área de caminhada. Álvaro Marques Caldeira, 76, aposentado, conta que sempre frequenta o local e que já presenciou algumas pessoas idosas tropeçando nas calçadas.

Takeshi Saito, 76, também aposentado, defende que "até as árvores do local deveriam ser trocadas", pois segundo ele, "são muito antigas e apresentam risco de queda".

Por outro lado, há aqueles que dizem que esta obra é apenas um gasto a mais. Jésio de Carvalho, 82, aposentado, avalia como boa a ideia da reforma, mas acredita que não vai fazer muita diferença em sua rotina.

Veja também