Procrastinação

Do latim, procrastinare, significa: adiar, protelar, delongar, retardar, etc. Um dia chuvoso, ensolarado, nublado ou frio é grande empecilho para o procrastinador adiar suas tarefas. É a primeira possibilidade do procrastinador diante do compromisso. Posterga tanto, que perde a graça ou energia libidinal para si e para o outro. O que podemos pensar a respeito, da pessoa que procrastina? São muitos motivos envolvidos nesse contexto. 
Há consciência de postergação e muito lamurio, gerando estresse, sensação de culpa, perda de produtividade e vergonha em relação aos outros. Deixar de cumprir as responsabilidades e compromissos provocam rastros que vão sendo deixados onde estereótipos são criados. Ansiedade e depressão podem causar procrastinação. A pessoa vive angustiada, tensa, preocupada, nervosa ou irritada. Nesses quadros, são frequentes sintomas como insônia, dificuldade em relaxar, angústia constante, irritabilidade aumentada e dificuldade em concentrar-se. São também comuns sintomas físicos, como taquicardia, tontura, cefaleia, dores musculares, formigamentos, sudorese fria, causando um sofrimento clinicamente significativo, prejudicando a vida social e ocupacional do sujeito. 
Sendo assim, esse tipo de procrastinação necessita de ajuda especializada, como: psicoterapia, psicanálise e até mesmo psiquiátrico. A falta de autoestima e segurança também é um problema que afeta a realização de atividades, uma vez que a pessoa evita concluir algo, evitando submeter-se à avaliação, crítica e juízo. Todo evento ou compromisso para o procrastinador torna-se impossível, inalcançável e, assim, evita, adia, desmarca e a sensação de culpa, covardia, infelicidade, incapacidade ganha uma lupa de aumento. 
O procrastinador cria muitas fantasias a respeito de certas tarefas e acaba sofrendo muito por antecipação. Após longo sofrimento, resolve realizar o evento, arrastando-se e, quando concretiza o mesmo, fica arrependido, pois percebe o quanto foi simples, fácil e rápido. E sente-se fracassado. Como combater o problema? Procrastinar está relacionado com fatores que preocupam a nossa sociedade, como estresse, falta de foco e até mesmo motivação e produtividade. 
Para ajudar ou auxiliar, vamos juntos pensar em formas para sair da procrastinação. 1 - O que normalmente faz você procrastinar? Identifique que tipo de tarefa desmotiva, tirando sua concentração ou foco. 2 - Foco é muito importante. Des-foque do outro, como: vizinhos, parentes, vida perfeita do “Instagram” e concentre-se em você. 3 - Faça uma tarefa de cada vez e agende-as. E elimine uma a uma na agenda. 4 - Reflita sobre a prioridade das tarefas e a realize com foco total de concentração, onde corpo e alma estejam em unidade. Não fique com o corpo na tarefa e alma ou pensamento, vagando. Não se importe com o tempo, vá realizando. 5 - Procure não transferir as tarefas por acreditar-se, impotente. Há tarefas que são intransferíveis e dão muito prazer ao realizá-las. 
A sensação provocada ao procrastinar é bem diferente de quando há a realização. Ao procrastinar, os dias são de ruminações, de mau humor, irritabilidade, sono, fuga, racionalização, etc.. Ao desafiar-se, chegando até a realização, certamente desencadeará alívio, bom humor, alegria, crença em si, segurança, autoestima boa e integração. Busque ajuda ao sentir-se incapacitada e infeliz.
 

Veja também