Prudente mantém cronograma escalonado de aulas presenciais até fim do ano letivo

De acordo com Seduc, decisão vem ao encontro das orientações das autoridades sanitárias do município, com objetivo de preservar integridade de alunos, professores e funcionários

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 22/10/2021
Horário 17:12
Foto: Marcos Sanches/Secom
Seduc não seguirá retorno integral dos estudantes às salas de aula até o fim deste ano letivo
Seduc não seguirá retorno integral dos estudantes às salas de aula até o fim deste ano letivo

A Prefeitura de Presidente Prudente, por meio da Seduc (Secretaria Municipal de Educação), informou nesta sexta-feira que manterá até o fim do ano letivo de 2021 o cronograma escalonado de aulas presenciais na rede municipal de educação.

Dessa forma, segue vigorando a fase 3 da Resolução Seduc 10/2021 para ensino obrigatório (pré-escola e ensino fundamental) e fase 2 para a creche (berçários e maternais), com atendimento presencial no mínimo duas vezes por semana para cada aluno, com distanciamento e uso obrigatório de máscaras.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Joana D’arc Patrício do Nascimento, a decisão de manter esta configuração vem ao encontro das orientações das autoridades sanitárias do município, com o objetivo de preservar a integridade de alunos, professores e demais funcionários das unidades de ensino.

Retomada obrigatória no Estado

A medida ocorre após o governo do Estado de São Paulo anunciar em 13 de outubro a retomada obrigatória dos estudantes às aulas presenciais para as redes estadual, municipal e privada vinculadas ao Conselho Estadual de Educação a partir de 18 de outubro. Até então, a presença era facultativa às famílias.

Na ocasião, o governo informou que, para garantir a segurança e a ampliação do retorno às aulas presenciais, todos os protocolos sanitários, como o distanciamento de 1 metro entre as pessoas e uso obrigatório de máscara e álcool em gel, ainda serão mantidos até o final de outubro, assim como o esquema de revezamento planejado por cada escola, de acordo com a capacidade física.

A partir de 3 de novembro, novas mudanças passarão a ser implementadas, como a não obrigatoriedade do distanciamento de 1 metro e, por consequência, a descontinuidade do revezamento entre os alunos nas aulas presenciais, ampliando o acesso e a frequência dos estudantes da educação básica à unidade escolar para 100% dos estudantes presentes simultaneamente.

Risco à integridade dos alunos

À época, o Comed (Conselho Municipal de Educação de Presidente Prudente), em carta aberta, defendeu que, por não haver previsão de vacinação para o público abaixo de 12 anos, tampouco qualquer previsão de testagem em massa para esse público em especial, e por não haver condições físicas nem recursos humanos suficientes neste momento, convocar 100% dos alunos para as aulas presenciais nas atuais circunstâncias “é colocar em risco” a integridade física desse público e das pessoas com comorbidades que compõem seus núcleos familiares. 

Veja também