Publicidade

Prudente tem primeira morte suspeita por dengue do ano

Vítima é uma mulher de 92 anos, moradora do Residencial Jarina, em Prudente, que estava internada na santa casa e faleceu na terça-feira

PRUDENTE - ANDRÉ ESTEVES

Data 25/01/2020
Horário 12:17

A VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal) investiga um caso suspeito de morte por dengue em Presidente Prudente. A vítima, uma mulher de 92 anos, moradora do Residencial Jarina, na zona leste da cidade, estava internada na Santa Casa de Misericórdia e faleceu na terça-feira.

De acordo com a supervisora da VEM, Elaine Bertacco, o órgão enviou as amostras para o IAL (Instituto Adolpho Lutz), na capital paulista, e agora aguarda a chegada dos resultados, que podem levar até 15 dias. Adianta, no entanto, que as equipes já iniciaram o trabalho de campo no bairro em que a vítima residia. “Contudo, as ações são somente educativas, uma vez que o Ministério da Saúde não fornece o inseticida para nebulização e nem o larvicida desde julho de 2019, dificultando as ações de combate”, expõe.

Em nota, a pasta federal informa que iniciou a distribuição de 139 mil litros do inseticida Malathion para todos os estados do país. Esse quantitativo é superior ao que já foi liberado em períodos críticos, como em 2016, quando foram enviados nacionalmente 121 mil litros. "O uso do adulticida é a última estratégia de enfrentamento ao problema da zika, dengue e chikungunya, visto que, nesta fase, o mosquito já atingiu a fase adulta. A medida mais eficaz é a eliminação de focos de multiplicação do mosquito [água parada], evitando que eles nasçam", comunica.

Enquanto os trabalhos de nebulização não são retomados, Elaine orienta que os cidadãos mantenham seus quintais limpos e fiquem atentos em relação a recipientes que possam contribuir para a proliferação do Aedes aegypti, vetor da doença. Além disso, a supervisora da VEM destaca a importância de os moradores não recusarem a entrada dos agentes de endemias quando receberem a visita destes profissionais. Até o momento, a VEM já notificou 12 imóveis por ofertarem risco de proliferação do mosquito, estando sujeitos a multas caso não ocorra a regularização.

Conforme o último balanço emitido pelo órgão, Prudente acumula 30 casos positivos de dengue, além de 329 notificações e 222 exames aguardando resultados. Elaine aponta que, em 2019, foram registrados três óbitos por dengue, sendo dois na zona leste de Prudente. “Independente do que os resultados apontarem para esse primeiro caso de 2020, iniciamos um novo capítulo epidemiológico neste ano e, se vamos ter mais notificações ou mortes, isso dependerá das nossas atitudes enquanto cidadãos”, alerta.

SEGUNDO CASO

NA REGIÃO

Na área do DRS-11 (Departamento Regional de Saúde), este é o segundo caso suspeito de morte por dengue. O primeiro foi registrado em Presidente Venceslau, onde um homem de 48 anos morreu no dia 16 de janeiro, na santa casa do município.

Veja também