Prudentinos desenvolvem projeto que permite produção de sites com acessibilidade

Iniciativa recebe investimento internacional no valor de US$ 31.659,34; objetivo é colaborar para uma internet mais inclusiva

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 24/11/2020
Horário 13:54
Cedida - Equipe desenvolve projeto que torna possível o acesso à web por pessoas com deficiência
Cedida - Equipe desenvolve projeto que torna possível o acesso à web por pessoas com deficiência

Os alunos do 6º termo do curso de Sistemas de Informação da Toledo Prudente Centro Universitário, Ana Ayumi Fucushima e Pedro Henrique Zanelato Romero, com a orientação dos professores, Ana Paula Ambrosio Zanelato e Alisson Fernando Coelho do Carmo, participam de um projeto em parceria com a FCT/Unesp (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista) de Presidente Prudente. O projeto, para o desenvolvimento de um sistema que permite a produção de sites com acessibilidade, recebe um investimento internacional.   

De acordo com o professor Alisson, um dos orientadores, o projeto vai desenvolver um sistema que permite a produção de sites com acessibilidade. “Submetemos um projeto, com a coordenação do professor Klaus Schlünzen Junior, da Unesp, e fomos contemplados”, explica. “Este é um projeto de 12 meses, no valor de US$ 31.659,34, compreendendo as bolsas, aquisição de material, equipamentos e insumos”, fala o professor.  

Para a professora Ana Paula, também orientadora, o projeto tem importância para todos os envolvidos. “Os estudantes terão a oportunidade de praticar os conceitos aprendidos no curso de Sistemas de Informação, além de vivenciar o desenvolvimento de um projeto do início até sua implantação e, ainda, propiciar uma nova experiência a todos os usuários, tornando possível o acesso à web para pessoas com deficiência, de modo que elas consigam perceber, navegar, entender, interagir e contribuir para a internet”, ressalta.   

Segundo a professora, as expectativas são promissoras. “O objetivo é que o projeto possa colaborar com uma web inclusiva, para que todos possam acessá-la de maneira autônoma”, comenta.   

Ana Ayumi Fucushima, aluna participante do projeto, explica que a iniciativa é voltada para o desenvolvimento de uma solução com a IA (Inteligência Artificial), por meio de uma API (Interface de Programação de Aplicação). “Estou achando incrível esse projeto que se preocupa com a inclusão social e em trazer uma experiência para que todos possam se divertir e utilizar os sites sem dificuldades”, fala.

Para a estudante, esta é a oportunidade ganhar experiência no uso de IA. “Além de ser uma ação incrível, será um grande desafio e pretendo utilizar este projeto como TCC [trabalho de conclusão de curso]. E acredito que vou aprender muito, vai me agregar tanto profissionalmente quanto pessoalmente”, conclui.   

Já para o aluno Pedro Henrique Zanelato Romero, também do 6º termo do curso, além de contribuir com a carreira, o tema é bastante nobre. “Estou muito feliz com a oportunidade, pois, além de se tratar de algo que gosto muito, é um projeto que irá ajudar inúmeras pessoas e possibilitará a inclusão no âmbito digital”, reforça. “Esta é uma realização tanto profissional, com aprendizado e conhecimento, quanto pessoal, de poder contribuir em algo que ir irá ajudar diversas pessoas”, completa.   

Investimento   

O projeto faz parte do CPIDES (Centro de Promoção para a Inclusão Digital, Escolar e Social). O investimento é promovido pelo Frida – programa internacional que apoia iniciativas na América Latina e no Caribe para a consolidação de uma internet global, aberta, estável e segura.   

Os fundos para apoiar os vencedores da chamada deste ano atingiram US$ 388 mil e serão distribuídos em um prêmio e de quatro a cinco subsídios em cada uma das três categorias do edital: Estabilidade e Segurança da Internet, Internet Aberta e Livre e Acesso à Internet.

Veja também