Recursos federais

Homéro Ferreira

COLUNA - Homéro Ferreira

Data 03/12/2021
Horário 04:18

Através de emenda parlamentar, a deputada federal prudentina Sâmia Bomfim (PSOL) destina recursos à Santa Casa de Presidente Prudente e para a casa abrigo O Amor é a Resposta; serviço de acolhimento de mulheres vítimas de violência.

FINS ESPECÍFICOS
São R$ 400 mil para aquisição de equipamentos hospitalares e R$ 185 mil destinados ao custeio de projeto de inclusão digital para as vítimas dos mais diferentes tipos de agressões e compra de veículo adaptado para transporte com segurança. 

PELA SEGUNDA VEZ
Nas informações que chegam ao Plantão, pelo secretário da executiva municipal do PSOL prudentino, Josué Macedo, em 2020 a deputada enviou R$ 650 mil para a mesma Santa Casa.

PRIMEIRA MULHER
A primeira mulher prudentina a ocupar uma cadeira na Câmara Federal é filha dos servidores públicos aposentados: o escrivão de polícia Domingos Bomfim e Antônia Cavalcante de Souza Bonfim, da Secretaria da Fazenda.

PRIMEIRA DO PSOL
Sâmia iniciou sua carreira política como a primeira vereadora eleita pelo PSOL em São Paulo e, então com 27 anos, a mais jovem a ocupar uma cadeira na Câmara Municipal. Foi eleita com 12.464 votos, em 2016.

VOTAÇÃO EXPRESSIVA
Em dois anos como vereadora ganhou musculatura eleitoral suficiente para ser eleita deputada federal em 2018, com 249.887. Foi a mais votada do PSOL no Estado de São Paulo e a 8ª mais votada entre todos os candidatos.

NO PLANO LOCAL
Em Prudente obteve 1.815 votos (1,63% dos votos válidos), com seis candidatos locais à sua frente e outros três locais que ficaram para trás. Na cidade, o mais votado foi o ex-prefeito Milton Carlos de Mello, Tupã (DEM), com 19.094 votos (17,18%).

VOTOS PULVERIZADOS
Na eleição de 2018, os votos em Prudente foram amplamente pulverizados. Receberam votos nas urnas locais 838 candidatos, incluindo 69 dos 70 eleitos por São Paulo. Dos eleitos, o menos votado em Prudente foi Herculano Passados (MDB), com dois votos.

BEM PREPARADA
A filha caçula de Domingos e Antônia passou em seis exames vestibulares e escolheu a USP (Universidade de São Paulo) para cursar Letras, aos 17 anos de idade. Na capital teve engajamento na política estudantil e atuou em favela como professora voluntária.

ENSINO BÁSICO
Com origem em escola pública, fez os quatro anos iniciais básico na Escola Municipal José Soares Marcondes, passou pela Escola Estadual Florivaldo Leal e completou o ensino básico com bolsa de estudos no Colégio Multiplus, na ocasião chamado Pluri. 

MESMA TRAJETÓRIA
São três irmãos que passaram pela mesma trajetória do ensino básico. A mãe afirma que a base foi a escola pública municipal do bairro do Bosque, especialmente pelo incentivo à leitura. Os outros dois irmãos de Sâmia também cursaram o ensino superior.

PUXARAM A FILA
A primogênita Dayane é formada em Direito pela Toledo e optou por trabalhar na Justiça Federal, mesmo ficando em 1º lugar em concurso da Previdência Social. Diego é médico ortopedista, formado pela Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) e com residência em Maringá (PR).

Veja também