Região de PP tem saldo de 454 novos empregos

Foram 4,9 mil contratações e 4,4 mil demissões em fevereiro; no acumulado do ano, desempenho também foi positivo

PRUDENTE - MARIANE GASPARETO

Data 24/03/2017
Horário 11:29


A região de Presidente Prudente ficou com um saldo de 454 novos empregos em fevereiro deste ano, ao registrar 4.910 admissões e 4.456 demissões, apontam dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego).

No acumulado do ano – os dois primeiros meses de 2017 –, o desempenho também foi positivo em 606 novos empregos: foram 9.371 pessoas contratadas e 8.765 desligadas de seus empregos. O destaque entre os municípios foi para Adamantina, que contou com 512 admissões e 252 demissões (saldo de 260); seguida por Álvares Machado, com 130 novos empregados e 40 desligados (90). Presidente Prudente vem em terceiro lugar, com seus 1.871 funcionários recém-admitidos contra 1.784 dispensados pelas empresas (87).

Jornal O Imparcial Setor de serviços foi o que mais impactou no saldo positivo de empregos na região

Na análise dos quatro maiores setores analisados, o que mais influenciou o indicador regional foi o de serviços, com 146 novos empregos, resultado de 1.980 admissões e 1.834 demissões. A construção civil também teve um indicador positivo, mas tímido: 23 postos de trabalho. São 320 admissões e 297 desligamentos.

Já nos piores desempenhos o destaque vai para a indústria da transformação: 671 contratados, 800 demitidos, gerando uma perda de 129 vagas. Em seguida, o destaque é o comércio, com 1.107 pessoas começando a trabalhar em fevereiro e 1.233 saindo do mercado de trabalho, redução de 126 empregos.

José Carlos Cavalcante, gerente regional do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), esclarece que o setor de serviços costuma ser um dos que responde mais rapidamente à recuperação da economia. "O faturamento melhora e então é possível voltar a contratar", afirma. Além disso, ele lembra que na região o segmento é tão forte quanto o comércio, e tem sido um dos que mais recebeu novos negócios nos últimos anos.

 

Veja também