Região recebe R$ 24,9 milhões do Bolsa Família

Conforme governo federal, no oeste paulista, municípios com maior arrecadação foram Prudente, Machado e Teodoro Sampaio

REGIÃO - André Esteves

Data 01/07/2017
Horário 13:43

Nos cinco primeiros meses do ano, a 10ª RA (Região Administrativa) do Estado de São Paulo recebeu R$ 24.988.239 em repasses para o programa Bolsa Família. Somente em maio, os 53 municípios que compõem o oeste paulista foram contemplados com R$ 4.955.807, distribuídos entre 30.945 famílias, 355 a menos do que em janeiro, quando 31,3 mil contavam com a assistência do governo federal. De acordo com as informações disponibilizadas pelo Ministério do Desenvolvimento Social, a maior transferência de recursos para a região ocorreu em fevereiro, período em que foi destinado o montante de R$ 5.080.528. A maior arrecadação fica por conta de Prudente, que obteve valores próximos a R$ 800 mil.

Atrás da capital do oeste paulista, se destaca Álvares Machado, com repasse médio de R$ 274 mil. No primeiro mês do ano, 1.409 famílias dispunham da complementação de renda, ao passo que, em maio, o número caiu para 1.363. A assistente social do município, Vânia Takata Alexandre Izuka, expõe que o benefício é cortado quando a família descumpre os critérios determinados pelo governo federal, como em casos de alteração de renda no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais), não atualização de cadastro e falta de acompanhamento por parte da família na educação e saúde.

A profissional enfatiza que é comum haver bloqueios no pagamento do subsídio. Quando isso ocorre, as famílias são acompanhadas pelo Cras (Centro de Referência em Assistência Social), a fim de tentar resolver o motivo pelo qual o governo suspendeu o auxílio e evitar que o mesmo seja cancelado. “Geralmente, atribui-se à falta dos alunos nas escolas”, ressalta. Vânia completa que antes do benefício ser bloqueado, o governo emite uma advertência à família. “Se não cumprida, há a suspensão do Bolsa Família por 30 dias e, caso a família ainda não se adeque às exigências do programa, há uma nova suspensão de 60 dias. Depois disso, ocorre o cancelamento”, esclarece.

Teodoro Sampaio, por sua vez, é a terceira cidade da região com maior obtenção de recursos (valor médio de R$ 264 mil). O chefe do Executivo, Ailton César Herling (PSB), acredita que a adesão ao programa garante a segurança alimentar e nutricional das famílias beneficiárias e faz com que estas cumpram as condicionalidades, como o acompanhamento dos membros pela rede municipal de saúde, a frequência dos filhos nas escolas e a participação de todos nos programas e ações oferecidos pela administração municipal. “Cabe a nós mantermos a base de dados atualizada para que, em um futuro próximo, essas famílias saiam da margem da vulnerabilidade e passem a ter sua independência financeira e uma condição de vida melhor”, avalia.

 

“Cabe a nós mantermos a base de dados atualizada para que, em um futuro próximo, essas famílias saiam da margem da vulnerabilidade e passem a ter sua independência financeira e uma condição de vida melhor”

Ailton César Herling (PSB),

prefeito de Teodoro Sampaio

 

Jornal O Imparcial

Veja também