Região tem 1ª morte por dengue confirmada

Em Osvaldo Cruz, um idoso de 70 anos foi a óbito no mês passado e era portador da doença; na tarde de ontem, Secretaria Municipal de Saúde da cidade confirmou o caso

REGIÃO - THIAGO MORELLO

Data 13/02/2020
Horário 05:12
ABr - Proliferação do mosquito Aedes aegypti preocupa a região Foto: ABr - Proliferação do mosquito Aedes aegypti preocupa a região

Desde que o ano começou, a região de Presidente Prudente já registrou cinco casos de morte suspeita por dengue, sendo em quatro cidades diferentes. Na tarde de ontem, uma das situações saiu do status de suspeita para confirmada, tendo como palco o município de Osvaldo Cruz e, como vítima, um idoso de 70 anos, que foi a óbito no mês passado, após ter contraído a doença.

A informação foi repassada pela Secretaria Municipal da Saúde de Osvaldo Cruz, a qual expõe que, além da dengue, o morador possuía outras comorbidades, como investigado pela VEM (Vigilância Municipal Epidemiológica). Entre elas, o órgão lista: pressão alta, problemas no coração e diabete, que foram agravadas com o contagio da patologia.

É válido lembrar que, como noticiado por esse diário na edição de ontem, a notícia veio logo após a Prefeitura ter decretado estado de emergência, “por causa da epidemia de dengue que atinge o município”. Até então, eram 155 casos confirmados apenas em 2020. O Decreto 4.419/2020 do Executivo autorizou o município a tomar todas as medidas legais necessárias para o controle da doença e ainda outras doenças transmitidas pelo mesmo mosquito, o Aedes aegypti.

NO AGUARDO DOS

RESULTADOS

No cenário da doença na região, restam agora mais quatro confirmações de mortes suspeitas pendentes. Duas delas estão em Presidente Venceslau, sendo as vítimas dois homens, um de 43 e o outro de 48 anos. A reportagem entrou em contato com a VEM e a Secretaria de Saúde, mas não conseguiu contato com ninguém, a fim de verificar a situação.

O mesmo caso ocorreu em Pirapozinho, onde a morte de um idoso de 72 anos segue investigada pela administração municipal. A Prefeitura segue no aguardo do resultado do Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo.

Por fim, o último caso refere-se ao falecimento de uma idosa de 92 anos, em Presidente Prudente. A supervisora da VEM, Elaine Bertacco, informou que o município ainda aguarda a confirmação dos exames, que estão sob os cuidados do Adolfo Lutz, na capital paulista.

Publicidade
eixosp

Veja também