Renda de pães preparados por alunos será destinada ao Projeto Com.Vida

Estudantes de Gastronomia da Toledo Prudente produziram cerca de 300 unidades, que já foram vendidas à comunidade a um custo de R$ 10

PRUDENTE - WEVERSON NASCIMENTO

Data 16/10/2021
Horário 04:12
Foto: Weverson Nascimento
Estudantes produziram 300 pães, cuja verba auxiliará o Projeto Com.Vida
Estudantes produziram 300 pães, cuja verba auxiliará o Projeto Com.Vida

A solidariedade na mesa é, sem dúvidas, a grande marca da iniciativa de alunos de Gastronomia da Toledo Prudente Centro Universitário, que produziram cerca de 300 pães para uma iniciativa social. Toda a verba arrecadada será destinada ao Projeto Com.Vida, idealizado pela prudentina Raquel Trevisi, que atende pessoas acometidas pela Covid-19 e enlutados que perderam alguém e precisam de ajuda para superar o momento de dor.
O estudante de Gastronomia, Ayrton Delicoli Carvalho, explica que, no primeiro semestre deste ano, durante um projeto integrador promovido por estudantes da instituição, convidaram Raquel para uma ação, que teve o objetivo de demonstrar a efetividade da cozinha e da gastronomia, bem como recriar um prato que trouxesse afetividade para a idealizadora do Projeto Com.Vida, do Instituto Trevisi. 
Posterior ao encontro, ficaram tocados pelo projeto e tiveram a ideia de usar o dom, que é a cozinha, para ajudar a iniciativa que já acolheu centenas de pessoas acometidas direta ou indiretamente pela pandemia do coronavírus, uma doença que afeta diariamente famílias por todo o Brasil. “A formação que a Toledo passa, nos faz acreditar na integração da comunidade com o centro universitário. Se a gente não proporcionar o bem para a comunidade, a gente perde um pouco o sentido do curso”, explica o estudante. 
E foi em meio à muita farinha e, principalmente, amor pela causa, que eles produziram ao longo desta sexta-feira cerca de 300 pães, que já foram vendidos à comunidade a um custo de R$ 10 a unidade. Para produzir a encomenda de solidariedade, 15 alunos do 2º e 4º termo de Gastronomia da Toledo Prudente participaram da iniciativa, que, segundo os envolvidos, poderá se estender para outras edições. 
“Temos que elevar o nível gastronômico da nossa cidade e a melhor maneira de fazer isso é atraindo as pessoas para dentro das nossas cozinhas. Também buscamos reforçar para a comunidade a importância do trabalho colaborativo”, enfatiza Ayrton.

Sem limites para ajudar

Raquel Trevisi, que é a idealizadora do Projeto Com.Vida, sediado em Presidente Prudente, mas que conta com assistidos de todo o Brasil, reforça que a iniciativa mostra para a sociedade que não existe um limite para ajudar, uma vez que qualquer pessoa e em qualquer meio pode contribuir com ações sociais como as do projeto. “Não tem uma área específica, qualquer negócio, qualquer empresa, empresário e pessoa podem contribuir com o nosso projeto e com a sociedade. Essa iniciativa não é minha, é de Deus para a sociedade em geral”, comenta.
Raquel reforça que é importante que as pessoas enxerguem a nobreza da iniciativa, uma vez que os estudantes se uniram ao Projeto Com.Vida em um momento oportuno, por se tratar de uma instituição filantrópica que não tem nenhum meio de renda fixa ou benefício fiscal e governamental, mas que já acolheu mais de 700 famílias. “O que estes estudantes estão fazendo é maravilhoso, porque além de reverter o dinheiro em um momento que mais precisamos, eles trazem uma energia boa ao projeto”, considera. Ela também ressalta que, por trás de cada pão vendido, foi revelado, consequentemente, a história do projeto. “Não é só o fato de vender o pão e receber o dinheiro, é o que se passa através dessa venda. Tem toda uma história contada”, acrescenta.

Ações do projeto

O Projeto Com.Vida foi criado incialmente para atender pessoas no pós-Covid grave que não tinham condições financeiras para se reabilitar, contudo, foi se adaptando para o atendimento de casos leves e o apoio ao enlutado que perdeu alguém e precisa de ajuda para superar seu momento de dor. Por isso, o numerário arrecadado, que equivale a R$ 3 mil, poderá contribuir em muito com o projeto, reforça a idealizadora. Atualmente, ela relata que contam com certa dificuldade com voluntários cadastrados, uma vez que dos mil vinculados, apenas 10% são ativos. Entretanto, é válido ressaltar que no projeto os pacientes assistidos precisam de atendimento com fisioterapeuta, psicólogo, enfermeiro, médico, e, por vezes, de doações de alimentos e medicamentos.
“Hoje, para o projeto se manter, a gente tem um custo até que alto para quem não recebe. Então, essa arrecadação vai ser toda direcionada de forma direta ou indireta para essas famílias, seja através da contratação de profissionais para realizar atendimentos ou para compra de medicação e alimentação”, detalha Raquel. “A gente depende do próximo e de ações como esta da equipe Toledo”, reforça. 
A idealizadora do Projeto Com.Vida faz um apelo para toda comunidade, uma vez que precisou suspender por tempo indeterminado o cadastro de novos assistidos. A falta de auxílio financeiro afeta contratar profissionais ou mesmo alçar voluntários para poder atender o público. “Se cada um fizer a sua parte, vamos conseguir atender cada vez mais famílias. Hoje, o Projeto Com.Vida tem fila de espera. Por isso solicitamos apoio de empresários, empresas, instituições e pessoas para que não precisemos interromper novos cadastros e salvar tantas vidas acometidas pela doença”.  

SERVIÇO
Para contribuir com o Projeto Com.Vida ou ser voluntários das ações, basta acessar o site projetocomvida.com.br.

Foto: Weverson Nascimento

Toda renda angariada com venda de pães será revertida ao projeto idealizado por Raquel Trevisi

Veja também