Renovar-se ou morrer

OPINIÃO - Sandro Rogério dos Santos

Data 14/06/2020
Horário 04:00

A fábula da águia (que contém exageros!) serve de partida para uma reflexão sobre o ciclo da vida. Embora a águia verdadeira não possa ficar sem se alimentar, não troque o seu bico ou as penas de uma só vez e viva em torno de 35 anos, a da história diz que a águia vive 70 anos; lá pelos seus 40 as unhas já não prendem a presa da qual se alimenta e o seu bico se curva perigosamente contra o próprio peito; as asas envelhecidas e pesadas com grossas penas já não facilitam o ato de voar.

É, então, a hora da tomada de uma decisão fundamental: entregar-se à morte ou enfrentar o doloroso processo de renovação. Ela deve voar a uma alta montanha, refugiando-se num ninho próximo à parede; bicará a parede até cair o bico e esperará o nascimento do novo, quando arrancará as unhas velhas; depois, de unhas novas, desprenderá de suas penas arrancando-as com o bico. Passado tal processo, a águia real americana executará o seu voo de renovação e terá mais longos 30 anos de vida.

Diz o profeta: “até os jovens se cansam e ficam exaustos, e os moços tropeçam e caem; mas aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças. Voam bem alto como águias; correm e não ficam exaustos, andam e não se cansam” (Isaías 4,30-31). A história da águia tem a ver com a nossa. Durante a vida devemos parar e renovar muitas coisas que nos envelhecem, nos tiram as forças e não nos deixam avançar. Com o tempo acumulamos experiências que pesam sobre as nossas costas e nos fatigam pouco a pouco. Muita gente perambula cabisbaixa pelos caminhos da vida com uma mochila cheia de problemas acumulados (sobejam exemplos nas relações sociais, familiares, políticas, laborais...).

Na existência, sempre é tempo oportuno para renovar-se. A atual situação porque passamos pode ser momento de subir à montanha e renovar as nossas asas e voar novamente com a força de uma águia. São processos muito doloridos, mas necessários, para renovar-se e não morrer; se nos arriscarmos será possível alçar novamente o voo com dignidade e de cabeça erguida. Será um processo no qual não estamos sozinhos se nos refugiamos ao abrigo do Altíssimo, pois aos que esperam no Senhor, Ele renovará o vigor e subirão com asas como as de águia, correrão sem se fatigar e andarão sem se cansar.

Que todos nós encontremos a força para tomar a justa decisão da vida, arriscando-nos de uma vez por todas. O ciclo de vida da águia diante de uma decisão crucial –renovar-se ou morrer– mostra que também nós devemos decidir. Eis aqui uma interessante história de motivação e superação.

Seja bom o seu dia e abençoada a sua vida. Pax!!!

Veja também