Reunião define “força-tarefa” contra Covid-19 em Pirapozinho

A partir de hoje, força policial e agentes de fiscalização estarão certificando funcionamento de estabelecimentos essenciais no município

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 13/05/2020
Horário 10:53
AI da Prefeitura - Encontro entre representantes ocorreu ontem à tarde Foto: AI da Prefeitura - Encontro entre representantes ocorreu ontem à tarde

Com a confirmação do primeiro caso positivo da Covid-19 em Pirapozinho, e também o avanço da doença no interior paulista, que praticamente dobrou em apenas 11 dias, a administração municipal coordenou uma reunião, realizada na tarde de ontem, com o objetivo de intensificar as ações de fiscalização do isolamento social.

Participaram, além do prefeito Orlando Padovan (DEM), o presidente da Câmara, Claudecir Marafon (PDT), o delegado de polícia, Rafael Guerreiro Galvão, o capitão PM Julio Cesar Domingues e os servidores Helena Marta Ricci Bicudo (Vigilância Sanitária), Vagner de Lima Carvalho (Fiscalização) e David Batista da Silva Júnior (Secretaria de Governo).

Como consequência, ficou definido pelos presentes que, na manhã de hoje, a partir das 8h, será realizada uma “força tarefa” por toda a cidade, com a presença da força policial e agentes de fiscalização para certificação de que apenas os estabelecimentos essenciais do comércio, da indústria e dos prestadores de serviços estejam em funcionamento.

Será ainda verificado se estes estão respeitando a obrigatoriedade do uso de máscaras e disponibilização de álcool em gel 70% nos seus interiores.

Vale lembrar que o descumprimento das normas será punido com autuações, podendo resultar na cassação do alvará de funcionamento da empresa, bem como a abertura de inquérito policial por infração de medida preventiva sanitária.

De acordo com o prefeito de Pirapozinho, a intenção não é punir ninguém. “Muito pelo contrário, gostaríamos que todos continuassem a respeitar as regras da quarentena imposta pela pandemia, o que aconteceu no início, porém o relaxamento por parte de parcela da população acendeu o sinal de alerta dos órgãos governamentais e estamos tratando de salvar vidas, não podemos nos omitir” declarou Padovan.

Os presentes definiram também que essas ações serão rotineiras por parte dos órgãos e agentes envolvidos.

Veja também