Secas no inverno e no início da primavera

OPINIÃO - Alyson Bueno Francisco

Data 12/11/2019
Horário 04:40

O ano de 2019 foi marcado por eventos meteorológicos que geraram desconfortos térmicos e impactos na região de Presidente Prudente. Os meses de abril, junho, julho e agosto apresentaram volumes de precipitação muito abaixo da média histórica, com um período de deficiência hídrica no solo entre os meses de junho e agosto.

A estiagem prolongada no inverno de 2019 atingiu grande parte da região central do país e repercutiu no número de focos de queimadas. Em nossa região, no mês de agosto, ocorreu um caso de acidente em rodovia por perda de visibilidade em decorrência das queimadas.

As causas da estiagem no inverno e no início da primavera de 2019 podem estar relacionadas ao resfriamento das águas do Oceano Pacífico, fenômeno denominado La Niña. Esse fenômeno é o oposto do mais conhecimento El Niño, que se apresentou com forte intensidade entre 2015 e 2016.

A estiagem prolongada no inverno de 2019 atingiu grande parte da região central do país e repercutiu no número de focos de queimadas

As temperaturas máximas registradas no período da tarde na região de Presidente Prudente foram causadas pela predominância da alta pressão atmosférica e ausência de nebulosidade, cuja superfície pode apresentar altas temperaturas dependendo de sua cobertura (malha asfáltica nas cidades, edificações com telhas metálicas, entre outras). Em períodos de aquecimento da superfície nos dias ensolarados e com a diminuição da pressão, a atmosfera responde com rajadas de ventos e chuvas de convecção que podem ocasionar impactos nas áreas urbanas.

A atmosfera terrestre sempre foi dinâmica, mas as condições da superfície, principalmente nos espaços urbanos, precisam de mais áreas arborizadas e menos áreas impermeáveis, para evitar futuros cenários com condições climáticas desfavoráveis ao bem-estar da população.

 

 

 

 

 

Veja também